Bem ti vi

Para você, Letícia, meu Bem-te-vi".
Viste, hoje, o passarinho na janela?
Tão frágil, tão pequeno, tão delicada fera.
Parece procurar-te, de primavera, em primavera. Até pousar cansado, noutra janela.
Ouviste-lhe, acaso, o canto de saudade? Também eu te procuro minha bela.
Encontro-te no meu peito, fiz-te um ninho, aconcheguei-te no meu altar.
É que aquele passarinho na janela lembrou-me o dia que há muito já perdi.
Bem me quiseste, e tanto bem te quis...
Quiseste mais, eu sei, compreendi. Tu frágil, doce, bela...
Lembro-me de ti. Esquecer-te, meu amor, seria como me esquecer de mim.
É que aquele último dia cerrou-te os olhos delicadamente, e entre beijos eu te vi partir...
Voaste!... Voaste firme e decididamente.
De volta para dentro de mim,
E eu... Fiquei aqui, a lembrar-te de ti, a sonhar contigo, esperando o dia em que poderei te ter aqui, em meus braços para abraçar-te, beijar-te, beijar-te, beijar-te..
Te espero até depois do fim.

Amigos

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Dia de pingo nos iii...


E-mail ao Sr. Dr. Prof. MARCELO JATENE.

Letícia Novaes Gomes, 5 meses e 29 dias, foi operada por você dia 04/10/11 a principio para uma correção na valva mitral o que segundo você não foi possível precisou ser feita a troca da valva por uma Prótese metálica, foi feito também plasia no ventrículo esquerdo.
Fui informada no mesmo dia que ela teve febre durante a cirurgia, e dias depois fui informada pela Dr. Vanessa da Rec 1 que ela teve febre antes e após a cirurgia, o que me deixou muito confusa, se teve febre antes de começar a cirurgia porque não adiaram???
Em fim,
O que você não deve saber é que essa febre nunca passou e cada hora me diziam algo diferente segundo Dr. Wilma Takeda essa febre era esperada isso ocorre com alguns bebes no processo pós cirúrgico por terem seu sangue temporariamente desviado a maquina durante a cirurgia, em outro momento disse que a febre foi devido ao processo inflamatório que ela sofreu. Dr. Vanessa por sua vez disse que era por conta de uma infecção, que durante todos os dias era colhido exames e o “bichinho” não estava crescendo segundo ela um bom sinal, dias depois me falou que estava certa de que minha filha havia sido operada com pneumonia??? PNEUMONIA como pôde??? o que rapidamente foi desmentido pela Dr. Wilma Takeda aquela que a examinou antes da cirurgia. O fato é que minha filha ficou 11 dias deitada sobre uma manta de água gelada para controlar a febre que nunca foi controlada, e o que mais me impressiona além das mais diversas informações incorretas é o fa to da Letícia nunca ter tido febre até esse momento.
Uma semana apos a cirurgia começaram também surgir fortes Arritmias que nunca foram controladas, segundo Dr. Wilma e Vanessa estavam aplicando nela At arrítmicos e isso seria facilmente controlado, mais não foi bem assim, todos os dias percebia que arritmia estava maior e ao questioná-las me dizia que estavam testando a quantidade correta para ela, que cada bebe tem sua quantidade e que no caso dela estava difícil de encontrar, mais que eu ficasse tranquila isso logo iria passar.
Só pude ver minha filha durante as visitas, as 10:00h e as 15:00h, pois se manteve todos esses dias entubada, a momentos em que eu chegava e ela estava com o marca passo ligado, a momentos que desligado, hora acordada, hora dormindo porem sempre apática, com o olharzinho triste implorando por ajuda. Nunca entendi e nunca foram claros comigo, as informações sobre o quadro dela era sempre muito rápido no fim da visita das 15:00h e ao tentar questioná-las a conversa mudava radicalmente de rumo, começavam a falar tecnicamente coisas que nós eu e o Ricardo (Pai) não entendiamos e logo eramos colocados a fora, sempre da mesma maneira. A VISITA ACABOU.
O fato é que dia 15/10, onze dias apos a cirurgia ela faleceu segundo laudo as causas da morte são:
Choque Cardiogênico - pós operatório de troca valvar mitral. Prótese metálica
Escenose mitral congênita – edema agudo de pulmão
Arritmia
Estou ciente de que nada vai trazê-la de volta, eu sei, mais gostaria de saber se algo que pudesse me falar em relação a cirurgia, e todo esse processo, o porque minha filha entrou no Incor dia 03/10 segundo a Dr. Wilma Takeda para fazer uma cirurgia simples de correção onde teria a duração de 1 hora e meia, ficaria por no máximo 5 horas no centro cirúrgico e sua recuperação seria rápida apenas 2 dias na UTI e com mais uma semana estaria em casa para ter "UMA VIDA NORMAL" Entrou sorrindo e brincando no Incor no momento de sua internação e foi para o centro cirúrgico dormindo, saiu de la depois de quase 10 horas para a Rec 1 e consequentemente saiu após 11 dias parecendo outro bebe, toda inchada, machucada, marcada dentro de um cachão.
Atenciosamente,
Fabiana Gomes (Mamãe).

ELE RESPONDEU:

Prezada Fabiana,
Nao desejo a ninguem o sofrimento pelo qual voces estao passando e muito menos as duvidas que estao tendo a respeito de tudo o que ocorreu apos a operacao da Leticia. Entendo e me solidarizo com voces e gostaria de me colocar a disposicao de voces para esclarecer todas as duvidas que persistem. Ninguem esperaria que a Leticia tivesse a evolucao que teve, e todos procuraram atende-la e trata-la da melhor forma.
Mais uma vez me coloco a disposicao para conversarmos quando voces acharem apropriado.
Atenciosamente,
Marcelo Jatene

Fomos ao seu encontro...
Não consigo definir o que senti ao entrar novamente naquele hospital. Dessa vez sem a Letícia... Nossaaaa...
Conversamos muito por mais de uma hora e se me perguntarem o que foi que entendi eu respondo. Nadaa...
Não sei se perdi a noção do entendimento, o pq. Os médicos me falam, falam e eu continuo sem entender...
Sou obrigada a acreditar que foi uma fatalidade??? Que chegou a hora...
De tudo que foi dito pelo Dr. o que mais me impressiona é o fato dele afirmar que também não sabe a razão da febre, ele operou minha filha, entregue-a bem, dormindo, e ela teve febre durante a cirurgia, essa febre nunca foi controlada, foram 11 dias na UTI, 11 dias para investigarem, 11 dias fazendo exames e nada constataram. A morte dela foi decorrente de algo de errado, a febre gritava alarmando algo errado... Algo que jamais saberei.

Nenhum comentário: