Bem ti vi

Para você, Letícia, meu Bem-te-vi".
Viste, hoje, o passarinho na janela?
Tão frágil, tão pequeno, tão delicada fera.
Parece procurar-te, de primavera, em primavera. Até pousar cansado, noutra janela.
Ouviste-lhe, acaso, o canto de saudade? Também eu te procuro minha bela.
Encontro-te no meu peito, fiz-te um ninho, aconcheguei-te no meu altar.
É que aquele passarinho na janela lembrou-me o dia que há muito já perdi.
Bem me quiseste, e tanto bem te quis...
Quiseste mais, eu sei, compreendi. Tu frágil, doce, bela...
Lembro-me de ti. Esquecer-te, meu amor, seria como me esquecer de mim.
É que aquele último dia cerrou-te os olhos delicadamente, e entre beijos eu te vi partir...
Voaste!... Voaste firme e decididamente.
De volta para dentro de mim,
E eu... Fiquei aqui, a lembrar-te de ti, a sonhar contigo, esperando o dia em que poderei te ter aqui, em meus braços para abraçar-te, beijar-te, beijar-te, beijar-te..
Te espero até depois do fim.

Amigos

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

1ª Consulta com a Psiquiatra...

Antes que ela me dissesse qualquer coisa, eu falei, levei minha Bebe para ser operada no Incor, entreguei ela nas mãos do melhor medico para que ele fizesse uma cirurgia simples de correção, e eles me devolveram ela depois de 11 dias dentro de um cachão... Tenho feito terapia semanalmente com uma Psicologa, ja estive de volta ao incor conversei pessoalmente com o Dr. que a operou ele me explicou passo a passo o que aconteceu, todos os dias converso com meu marido, procuro relatos de Mães que perdem seu filhos ainda bebes, investigo cada caso, pesquiso muito sobre o assunto de cardiopatia congênita e mesmo assim não consigo entender o que aconteceu com minha filha, preciso entender... Isso esta me deixando louca... Tenho consciência que minha filha não volta mais, tenho muita vontade de ir até ela, sei que nunca mais vou deixar de sofrer, mas se eu conseguir entender ao menos o que houve pode ser que eu alcance um pouquinho de paz para poder continuar, se eu não entender e não morrer vou realmente enlouquecer... Por favor, me ajuda a entender, por favor...
Ela ficou olhando para mim por alguns minutos estasiada, como se estivesse realmente me observando ou analisando e a primeira coisa que ela disse foi isso, sua filha foi operada pelo Dr. Marcelo Jatene? eu disse que sim, e ela concluiu, então sua filha foi operada pelo melhor cardiologista infantil que opera em toda América latina, vem pessoas de todos os cantos do mundo para ser operado por ele, acredite ela estava na melhor mão que poderia estar naquele momento, Se ela não sobreviveu é porque tinha que ser, ela estava predestinada a partir de qualquer jeito, se foi dessa maneira você deve se sentir em paz por ter feito o melhor que poderia fazer por ela.
Então me contou um caso que aconteceu com a afilhada dela.
Disse que a neném nasceu super bem, estava crescendo e se desenvolvendo como toda criança, o Pai da Bebe era pediatra e ele era quem cuidava da menina clinicamente, nunca notou nada de errado na menina, quando ela completou 6 meses eles viajaram e ao chegar no hotel a menina teve uma parada cardíaca, assim derrepente do nada... O Pai da menina tentou de todas as maneira reanimar a criança mas não conseguiu então saíram correndo com ela para o hospital e ao chegar la foi constatado a menina teve uma morte súbita... Sem entender o porque o Pai ficou transtornado e pediu que fizesse necrópsia no corpinho da bebe, ele participou pessoalmente do processo de necropsia... (imagine). e a conclusão do laudo foi. A criança sofria de um problema genético na válvula mitral do coração... (Me arrepiei, pois não tinha falado a ela qual era a cardiopatia da Letícia). O fato é que como a Letícia e a Menina não apresentava sintoma algum, no dia em que estivemos no incor o Marcio (cunhado) falou a Dr. Marcelo que nossa revolta era porque ninguém nunca tinha descoberto o probleminha da Lele, que descobrimos tarde demais, e o Dr. disse que pode ser que tivesse como notar algo de errado mais pode ser que não, disse que as vezes o organismo da gente vai se adaptando ao problema, por ex. a válvula não despejava todo o sangue para o corpinho da Lelê então o coraçãozinho dela ia armazenando esse sangue de um modo natural, ele fez isso enquanto pode, porem chegou um tempo que ele não podia mais suportar tanto volume, então começou a inchar e a pedir socorro em forma de sopro... Disse que tem casos que quanto se mostra ja esta assim avançado, e pior tem casos que o organismo vai se adaptando até não aguentar mais e ai ocorre uma morte súbita. Ele disse que esse era o risco da Letícia, morte súbita se não operasse.
Ela concluiu a historia me contando exatamente isso... Revivi a história da Lelê... Ela me disse também que ficou quase um ano cuidando do Pai da neném, porque ele se culpava, não entendia como que ele um pediatra não notou nada de errado com a própria filha, disse também que a mulher dele o acusa pela morte da filha, disse que ele quase enlouqueceu, mas que fez o tratamento direitinho com ela e hoje estão bem, superaram... Voltou a dizer que dor eu nunca vou deixar de sentir, disse que a saudade tende a aumentar consideravelmente, vai aumentando, aumentando a ponto de doer o peito mas que uma hora ela estaciona e quando isso acontecer eu vou aprender a conviver com ela. Disse que vai sim tentar me ajudar a entender o porquês, porem não tem a certeza de que acharemos todos eles e que independente dos porquês eu preciso encontrar a paz... Paz é fundamental, que sem paz posso realmente enlouquecer...
Me receitou uma tarja preta, disse para eu não me preocupar porque não vou viciar, e também não é nenhuma droga tão pesada a ponto de me fazer mal, é um calmante que age diretamente no cérebro para abrandar um pouco os pensamentos que estão firviando na minha cabeça.
Em fim...
Mundo realmente muito pequeno, viajei para chegar ao seu consultório, é realmente longe, onde iria imaginar que a medica que iria me atender conhecesse pessoalmente o Dr. Marcelo Jatene e teria também uma historia tão semelhante a minha a me contar.
Amanhã 2 meses sem Lelê meu coração esta pulsando parece que vai explodir!!!

PRECISO ENTENDER O QUE ACONTECEU COM MINHA PRINCESINHA... PRECISO, REALMENTE PRECISO SE NÃO VOU ENLOUQUECER!!! O QUE HOUVE COM MINHA FILHA, CADÊ ELA???

3 comentários:

Marla Desanoski disse...

Oi minha querida, sabe que este depoimento seu me ajudou muito, quando foi falado sobre a saudade, muitas veses é isto que acontece mesmo a saudade é tanta que chega doer, dai onde choro muito, em pensar que não irei ver ele crescendo ver o seu desenvolvimento é dificil, mas um dia vamos aprender a conviver com essa dor, espero que de tudo certo pra vc, faça o tratamento certinho que um dia vc vai alcançar a paz, torço muito por vc viu, não sei como anda a tua vida espiritual, mas pode ter certeza que Deus vai te consolar e um dia vc vai viver em paz com Deus, de coração tá, bjussss...que Deus te abençoe muuuiiitoooo...

Fabi disse...

Oi Marla minha Amiga... Amiga sim pois somos ligadas pela mesma dor, imagine só a intensidade disso.
Agradeço de coração toda sua torcida em me ver melhor, sua torcida a mim e mesma que de mim a Vc...
Temos que aprender a conviver com essa saudade antes que ela nos destrua!!!

Bjus e mais uma vez obrigada, conte comigo sempre!!!

Ana Lucia Decorações disse...

Que coisa, estou passada com a história da pisquiatra, olha fia não entendemos talvez nunca entenderemos, mas não consigo achar que tudo isso possa ser coicidencia, de alguma forma vc foi levada até esse lugar essa medica, acha que isso tudo faz parte do processo da Lelê querer ver você bem, bjus te amo se cuida...