Bem ti vi

Para você, Letícia, meu Bem-te-vi".
Viste, hoje, o passarinho na janela?
Tão frágil, tão pequeno, tão delicada fera.
Parece procurar-te, de primavera, em primavera. Até pousar cansado, noutra janela.
Ouviste-lhe, acaso, o canto de saudade? Também eu te procuro minha bela.
Encontro-te no meu peito, fiz-te um ninho, aconcheguei-te no meu altar.
É que aquele passarinho na janela lembrou-me o dia que há muito já perdi.
Bem me quiseste, e tanto bem te quis...
Quiseste mais, eu sei, compreendi. Tu frágil, doce, bela...
Lembro-me de ti. Esquecer-te, meu amor, seria como me esquecer de mim.
É que aquele último dia cerrou-te os olhos delicadamente, e entre beijos eu te vi partir...
Voaste!... Voaste firme e decididamente.
De volta para dentro de mim,
E eu... Fiquei aqui, a lembrar-te de ti, a sonhar contigo, esperando o dia em que poderei te ter aqui, em meus braços para abraçar-te, beijar-te, beijar-te, beijar-te..
Te espero até depois do fim.

Amigos

domingo, 29 de janeiro de 2012

A maior das dores...

Li isso em algum lugar e achei impressionante, como diz tudo, exatamente tudo, por isso repasso e comento cada item:

Quando nossos filhos partem ouvimos milhares de coisas:

Posso enumerar algumas:



Foi melhor assim; Ele está melhor ; cumpriu sua missão; Ele era bom demais para esse mundo; você tem que ser forte; você tem outros filhos; você tem seu marido; pelo menos Deus te deixou algo em que se apoiar; sua família precisa de você...( Era para ser um Anjo, nossa como escuto isso)...
O que esquecem de nos dizer e nós descobrimos sozinhas é a realidade! (dura, cruel realidade)...
Descobrimos que muitos sofrem conosco, mas ninguém sofre como nós...(ninguém, ninguém, mesmo).
Descobrimos que não há lembrança boa que supere essa dor de não poder ver mais o filho tão amado...(nada no mundo supera)...
Descobrimos que não temos amigos o suficiente...(é)
Descobrimos que o cheiro na roupa deles se vai com o tempo... (isso eu descordo totalmente, pois sinto seu cheirinho mesmo sem cheirar suas roupinhas e quando as tenho nas mãos parece que esta dentro delas, que acabou de tomar seu bahinho e esta mais cheirosa que nunca )!!!
Descobrimos que o cheiro dele não era só perfume...era o cheiro dele mesmo...( e que cheiro)...
Descobrimos que um dia no meio da madrugada acordamos desesperados por não lembrar mais da voz do filho que partiu (descordo também, nunca mais vou esquecer aquele huhuhu)...
Descobrimos que somente para quem perdeu um filho é natural falar dele como se ele ainda estivesse aqui (e está)...
Descobrimos que você perde o que tem de mais valioso e o mundo continua pequeno e miserável como sempre...(merda de mundo)...
Descobrimos que as lembranças que nos acalmam são as mesmas que nos desesperam...(é sim)...
Descobrimos que a saudade deixa de ser um estado emocional e vira uma dor física...( e psíquicas)
Descobrimos que a melhor hora do dia é a hora de dormir e estar perto de quem se foi...( se pudesse passava o tempo todo dormindo, assim me sentiria mais próximas)...
Descobrimos que nos dá raiva ver tantos pais rejeitando e maltratando os filhos( tenho vontade de matar, literalmente matar quem maltrata crianças).
Enquanto o filho que nos era tão amado se foi nos deixando nesta dor sem fim...(Filha amada, minha amada filha Letícia)...
Sim, descobrimos que a dor de perder um filho não tem fim; não abranda; não vira a bendita saudade gostosa!(nossa...)...
Descobrimos que não é possível fingir ser feliz... ( há não ser entupida de remédios)...
Descobrimos que a vida continua, mas não a sua.( vida... droga de vida)...
Sua vida acaba no exato momento que seu filho se vai. (15/10/2011 as 07:23h)...
Você acorda. Anda, come, fala, sorri, chora, mas em seu interior já não existe mais nada!(desde então tudo se torna artificial)...
Quem perde um filho descobre que vive de passado, do que foi e pouco importa o futuro porque o que tinha que ser já não é mais e você ficou aqui... (como um castigo agente continua aqui)... 

É isso literalmente isso:
Assim consigo resumir o que me restou:
A dor, a revolta e a saudade...
Ahhh também os porquês??? Jamais posso esquecer os malditos porquês???
Perguntas sem respostas...
Mas, sobretudo o Amor...
Gente por favor não falem comigo como se minha Pequena não existisse mais, isso tem acontecido com frequência e tem me machucado muito... Minha filha linda Letícia não esta mais aqui porem existira para sempre...
Não mudem de assunto quando eu falar dela, por favor...
LETÍCIA, minha filha linda é meu principal assunto, e a pessoinha que mais amo, por isso falo tanto nela...
Já dizia minha Mãe, a boca fala o que o coração esta cheio, e meu coração esta cheio de Letícia!!!
Amo mais que tudo!!!

7 comentários:

Roberta disse...

Amiga, sei como é conversar com as pessoas e elas tratarem dos nossos filhos como se não existissem ou então dizerem: "esquece esse assunto!" como se fosse somente "um assunto" e mais nada. Tenho certeza que a intenção dessas pessoas é de não nos magoar, mas se elas soubessem como isso dói... tente dizer a elas o quanto é importante para você conversar sobre a Letícia, afinal, as pessoas não sabem como lidar com essa dor.

Um beijo bem grandão pra você! =)

Fabi disse...

Obrigada Rô!!!

Ana Lucia Decorações disse...

lindas na foto do banho, amo vocês!!!

Marla Desanoski disse...

É td isso é fato...mas que nem foi dito no comentário acima...as pessoas acham que tem medo de conversar sobre isso, mas se as pessoas soubesse como é importante deixar a gente falar, desabafar, tentar nos entender, olha, eu sofro muito com isso não tenho pessoas para desabafar, tenho meu marido o unico que me entende, mas muitas veses ele chora tambem, não quero fazer ele sofrer tambem, mas ele sofre junto comigo, é um pedaço nosso um fruto do nosso amor que se foi...mas é td isso mesmo...

bjusss, amiga...

Michele Carvalho Goulart Salomão disse...

paFabi, cada foto linda que vc tem dela, amiga!!!

Todas as palavras ditas são fato de quem ja passou e passa por isso... Bom, ja disse anteriormente o que acho de pessoas que não se sensibilizam ou ao menos respeitam aquele que perde um filho, pra mim são hipócritas, sem coração e que não tiveram a dor de perder alguém tão importante na vida (neste caso, a própria vida)
Confesso que mudei muito meu conceito depois que a Helo nasceu, muita coisa que achava pequena hoje pra mim não tem tamanho. Entendo vc não como mãe de anjo, mas sim como mãe da Lele, da LINDA Lele que sofre pela ausência física, pela falta que ela faz.
Amiga, acompanho seu blog diariamente e acho lindo cada post, só não comento mais pq essa semana minha pequena esta em casa comigo e bom, vc sabe né, meu tempo para resolver as coisas que não sejam "HELO" diminui 90% para cuidar dela. Aproveitando: Ela ta bem melhor agora, não teve mais febre e ja esta toda arteira...rs
Muito obrigada pelo carinho viu. Bju e forte abraço.

Fabi disse...

Que boa noticia Michele...
Estava mesmo preocupada com a Helo... Mesmo sabendo que é coisas de criança, é natural eles passarem sustos em nós de vez em quando... É só para testar o coração de Mãe, e de Pai claro...
Em fim,
Quero dizer que te sinto presente em minha vida, ja faz parte dela, não se preocupe quando não puder comentar, eu sei que estamos juntas!!!
Obrigada hoje e sempre!!!
Com amor,
Fabi

Fabi disse...

Ainda bem que temos uma a outra ne Marla...
Conte comigo, desabafe comigo, e eu contarei com Você...
Uma caminhando ao lado da outra!!!
Beijo!!!