Bem ti vi

Para você, Letícia, meu Bem-te-vi".
Viste, hoje, o passarinho na janela?
Tão frágil, tão pequeno, tão delicada fera.
Parece procurar-te, de primavera, em primavera. Até pousar cansado, noutra janela.
Ouviste-lhe, acaso, o canto de saudade? Também eu te procuro minha bela.
Encontro-te no meu peito, fiz-te um ninho, aconcheguei-te no meu altar.
É que aquele passarinho na janela lembrou-me o dia que há muito já perdi.
Bem me quiseste, e tanto bem te quis...
Quiseste mais, eu sei, compreendi. Tu frágil, doce, bela...
Lembro-me de ti. Esquecer-te, meu amor, seria como me esquecer de mim.
É que aquele último dia cerrou-te os olhos delicadamente, e entre beijos eu te vi partir...
Voaste!... Voaste firme e decididamente.
De volta para dentro de mim,
E eu... Fiquei aqui, a lembrar-te de ti, a sonhar contigo, esperando o dia em que poderei te ter aqui, em meus braços para abraçar-te, beijar-te, beijar-te, beijar-te..
Te espero até depois do fim.

Amigos

domingo, 22 de janeiro de 2012

A postagem anterior é carta aqueles que estão ao nosso lado, "ESSA" É PARA NÓS MAMÃE DE ANJOS!!!

Carta às mães que perderam seus filhos

Mãezinha queridaSeu coração está em pedaços
Não dor maior do que a perda de um filho
Aprendemos a amá-los de uma forma tão grandiosa, tão completa, que não conseguimos mais enxergar o mundo sem a sua presença ao nosso lado.
Descobrimos um tipo de amor que nos faz crescer e nos faz amar a vida como nunca antes havíamos amado.
E subitamente são levadosAos poucos meses, nos primeiros anosOu um pouco mais tarde. Levados de nosso regaço através da morte tão cruel.
Mãezinha queridaSeu coração pede consolo, pede uma razão para continuar vivendo
E esta razão estará sempre em seu amor por eles.
Primeiramente pelo amor aos que ficaram e respiram também o ar de seu amar: filhinhos, esposo, pais, amigos queridos.
Mas também pelo amoraos que partiram porque, mãezinha querida, eles continuam a existir e a amá-la como antes o faziam.
A morte não mata o Espírito e também não mata o amor.
Um pai, uma mãe, nunca deveriam enterrar seus filhos diz o pensamento popular, fazendo menção à ordem natural da vida para os que deveriam partir antes.
Porém, a verdade é que você não enterrou seu filhinho, mãe: o que ali foi deixado sob a terra era apenas sua vestimenta corporal para esta breve encarnação.
Seu filho, sua filha continuam existindo. E todo amor que construíram no aconchego de seu lar não foi perdido: será a semente de um novo amanhã, quando voltarão a se encontrar.
Os planos maiores do Universo ainda desconhecidos por nós definiram que precisavam ir mais cedo, por razões especiais.
Voltaram para a verdadeira vida, o mundo espiritual, onde estão recebendo todo auxílio necessário para que sejam bem recepcionados em sua nova realidade.
Deus está com seus filhos nos braços, mãezinha.Segura-os através de seus tantos trabalhadores do bem, que estão encarregados de receber as almas após a desencarnação.
Você não perdeu seus filhos, embora a realidade pareça mostrar isso diariamente, pelo buraco que suas ausências na Terra deixaram.
NãoVocê não perdeu seus filhos. A desencarnação é apenas o final de uma etapa e começo de outra.
Não perdemos as pessoas, assim como não se perde o amor semeado no coração.
Quando a saudade apertar e o ar parecer faltar, lembre, mãezinha, dos momentos felizes com eles, lembre de abraçá-los com carinho em suas orações aos céus.
Eles receberão seu abraço e ficarão felizes por saber que em sua alma não revolta, não ódio ou rancor, apenas a natural e saudável saudade.
Através da oração você poderá manter um contato constante com eles, pois a prece une os dois mundos.
Diga que os ama muito, que sente falta, é certo, e que é este amor que lhe sustenta os dias na Terra, esperando o sonhado momento do reencontro.
Mãezinha queridaVocê não está sozinha neste momento difícil: Deus está com você. Conte com Ele.
Redação do Momento Espírita.

Obs.: Incluo Papai a cada item, pois o sentimento de meu Marido Ricardo verdadeiramente se iguala ao meu:

Quando perdemos um filho, perdemos um pedaço da gente, somos amputadas sem anestesia, essa parte ficara inflamada para sempre, nunca mais cicatrizara, esse pedaço não como um simples braço ou uma perna que com o tempo a tendencia é acostumar, esse pedaço é a parte mais importante pois trata-se da alma...
Não existe consolo a quem perde um filho, resta apenas acreditar num reencontro...
Difícil demais acreditar em algo bom quando se perde um filho, pois tudo torna-se tão injusto e cruel... Porem é preciso acreditar no reencontro, acreditar nisso é como a necessidade do ar para respirar...
Fabi.
Filha amada,
Ainda sem entender, sem acreditar, sem aceitar, sentindo dor, muita dor, quero... Preciso acreditar que um dia voltarei a encontrar você... Nada... Absolutamente nada é mais importante a mim do que esse momento... A esperança de te encontrar novamente é o que me mantem em pé, pois meu amor a você vai além, muito além da vida!!! TE AMO INFINITAMENTE MEU PINGUINHO DE GENTE,  MEU POTINHO DE OURO!!!
Mamãe e Papai.

2 comentários:

Michele Carvalho Goulart Salomão disse...

Oi amiga, lindas estas cartas, você esta sempre me emocionando... Acredito que ajude muito cada palavra, pois de uma forma ou de outra faz todo sentido, desde a partida até o reencontro. Até a cartinha do bebezinho se despedindo de um jeito carinhoso da mamãe são com palavras verdadeiras... Imagino que um bebezinho, que sente o amor imenso dos pais deva realmente dizer estas palavras para consolo e paz no coração deles... Tbm acredito em reencontro, mesmo que em sonho... Sempre digo que ao sonhar com alguém que se foi é um reencontro de almas, de espirito onde tentam demonstrar um para o outro a saudade, a falta, o carinho, o amor e a preocupação que sentem e continuarão sentindo pós vida...

Vc ja assistiu Nosso Lar??? Diz um pouco do reencontro pós vida, um filme muito bonito que explica sobre esta passagem.. vale a pena assistir...

Amiga, to aqui rezando por você, torcendo para que seu coração consiga ficar um pouquinho mais leve...
Bjus.

Fabi disse...

Obrigada Mi...
vou assistir o filme ta...
Beijos!!!