Bem ti vi

Para você, Letícia, meu Bem-te-vi".
Viste, hoje, o passarinho na janela?
Tão frágil, tão pequeno, tão delicada fera.
Parece procurar-te, de primavera, em primavera. Até pousar cansado, noutra janela.
Ouviste-lhe, acaso, o canto de saudade? Também eu te procuro minha bela.
Encontro-te no meu peito, fiz-te um ninho, aconcheguei-te no meu altar.
É que aquele passarinho na janela lembrou-me o dia que há muito já perdi.
Bem me quiseste, e tanto bem te quis...
Quiseste mais, eu sei, compreendi. Tu frágil, doce, bela...
Lembro-me de ti. Esquecer-te, meu amor, seria como me esquecer de mim.
É que aquele último dia cerrou-te os olhos delicadamente, e entre beijos eu te vi partir...
Voaste!... Voaste firme e decididamente.
De volta para dentro de mim,
E eu... Fiquei aqui, a lembrar-te de ti, a sonhar contigo, esperando o dia em que poderei te ter aqui, em meus braços para abraçar-te, beijar-te, beijar-te, beijar-te..
Te espero até depois do fim.

Amigos

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Copiado de alguma Mãe com o coração dilacerado como o meu!!!

Que um dia as dores acabam.”
Mas quem escreveu não imagina a dor da perda de um filho.
Existem dores que um dia, invariavelmente ficam apenas na lembrança, a perda de um marido, de avós, tios, primos, pais, mas há uma dor sem nome, e sem dimensão, que toma todo o corpo a alma e o coração. A dor da PERDA DE UM FILHO.
Ser mãe é “padecer no paraíso”.
Ser mãe é passar noites acordadas velando o sono da cria, cuidar de seu choro, seus males, suas dores... mãe aquela que aprende a distinguir o choro do seu filho no meio de dezenas de crianças, é aquela que se emociona ao ouvir a primeira palavra, é aquela que fica horas, e aquela que vibrar com as risadas, com cada descoberta.
Mãe: aquela que vira novamente criança para se jogar no chão e rolar com o seu filho, que joga bola ou brinca de boneca.
Mãe: é aquela que sabe de cor e salteado o nome dos personagens dos desenhos infantis preferidos dos filhos é aquela que passa o dia cantarolando musiquinha infantis e acha isso a coisa mais natural do mundo.
Mãe é aquela que sofre com as notas ruins e com o descaso do primeiro amor.
Mãe: tem que aprender a soltar seu “pássaro” em voo solo, e ficar com o coração apertado esperando seu retorno do mundo cão.
Mãe: aquela a quem a vida der repente castiga cruelmente, sem que ela saiba o porquê. E a despeito de tudo, tem que buscar forças das entranhas para continuar a caminhada e tentar achar o seu lugar em um mundo que de repente lhe parece tão fora de foco.
Vou contar a você o que se esconde por trás do sorriso de uma mãe que perdeu um filho.
Uma saudade que dilacera cada vez que você para, nem que seja por um segundo.
Ocupamos nossa cabeça e nosso tempo ajudando a quem necessita; consolamos quando às vezes só queríamos ser consoladas.
Sorrimos para não sermos egoístas... e para não fazermos aqueles que permanecem ao nosso lado sofrer ainda mais com nosso sofrimento.

Se eu choro? Sim; muitas vezes, infinitas vezes. Choro pela sua falta, pelos seus sonhos não realizados, choro de muita saudade. E de tanto chorar por ti, choro por mim mesma.
Se eu penso em você? Sim, penso todos os segundos do meu dia. Penso no quanto fui feliz ao teu lado, lembro dos teus desenhos preferidos que muitas vezes assistíamos e riamos juntos; das musiquinhas que você tanto gostava e que vivíamos cantarolando. Do aconchego quando dormíamos bem abraçadinhos.
E hoje cumpro a minha promessa. A promessa de continuar a viver o que sobrou da minha vida sem ela.
Uma mãe que sorri mesmo depois de uma dor tão grande.
Uma mãe que apesar de às vezes querer morrer, consegue ver que a vida continua.
 E tenho a certeza, filha, de que todas as emoções de ser mãe foram cumpridas e vivi todo esse espetáculo da vida: o espetáculo de ser sua mamãe.
Às vezes penso que nada aconteceu. Que a qualquer momento você entrara pela porta, me contando tudo que fez neste período em que estamos separadas... mas eu sei que não houve um ponto final, e sim uma virgula... e logo, logo estaremos juntos novamente...
Obrigada por ser minha filha adorada...
Minha caçulinha...
Te amo eternamente,
Me espera,
logo estaremos juntas,
E cantarei muitas musiquinhas a você... 
Minha vida, minha Letícia!!!

4 comentários:

Michele Carvalho Goulart Salomão disse...

Ohhh amiga, que coisa linda e triste ao mesmo tempo... Li (como sempre) com lagrimas nos olhos!!!

Cada palavra dita nesta mensagem por esta mãe é verdadeira, voltamos a ser criança após o nascimento do nosso filho, rolamos no chão, brincamos de bola e boneca, passamos a cantar musiquinhas infantis o dia todo (achando a coisa mais normal do mundo), sorrimos com suas gracinhas e sofremos com suas desilusões...


Quero muito te agradecer pela lição que aprendo com você todos os dias, aprendi a dar valor nas coisas mais insignificantes, nas menores coisas da vida depois que conheci você, sua história... Todos os dias abraço forte a Helo qdo a busco na escolinha e peço a Deus que te de forças para aguentar mais um dia e um dia e um dia... Choro só de pensar em ficar sem minha princesinha e não consigo imaginar a imensidão da sua dor, do seu sofrimento, minha amiga querida... Digo isso com lagrimas nos olhos e com o coração apertado! Força sempre!!!!

Fabi disse...

Poxa Michele, fico sempre sem saber o que responder a Vc...
Lição de vida, magina... Cada dia para mim é uma luta para sobreviver... Acordo todos os dias sem saber o que fazer, por onde começar, vontade imensa de dormir 24 horas por dia... As vezes penso, não posso morrer agora, tenho que esperar minha hora, então desejo dormir, dormir, dormir e acordar na hora exata da partida... Partirei feliz nesse dia, correrei atrás de minha pequenininha... Porem hoje tenho que cuidar das outras filhas, por isso acordo e levanto, sentindo tontura, náusea, tremedeira. Levanto, respiro, e começo o dia, pelos os meus, sem saber o que ele me reserva... E quando a saudade dói de mais o peito a vontade que sinto é de gritar, mas não grito, engulo a seco por minha família... Ter Você como amiga é a razão que preciso, sabendo que aqui, nesse cantinho, eu posso falar, ninguém vai me interromper, ninguém vai descordar de mim, todos vão me ouvir, respeitar e me abraçar... Puxa, seu abraço me alivia!!!
Faça isso com a Helo, Mi... Aproveite cada momento, curta ela por você e por mim, faça tudo o que eu gostaria de fazer com a Letícia e não posso, ela merece!!! Obrigada de coração por se fazer presente em minha vida!!!
Você é especial demais para mim...
Abraço minha amiga...

Kathia Porto disse...

Oi amiga li esta carta é exatamente com eu me sinto,com algumas diferencia pois não tive a oportunidade de canta para minha princesa ,de brincar de boneca,de escutar seu choro e seu risda... principalmente de escutar ela me chamar de mamãe ,amiga com dói saber q isso nunca vai acontecer.Tenho a certesa q DEUS fez o melhor para nós e para nossos anjos e um dia vamos ter resposta PORQUE ESSE SOFRIMENTO? bjusss.kathia

Fabi disse...

É Katia, lindo texto... Eu pude brincar com ela, cantávamos para ela dormir todos os dias, até mesmo durante o tempo em que ela ficou no hospital, de repente ter que parar de cantar é terrível... Sinto muita falta disso...
Em fim, cada uma tempo um tipo de dor né? eu por ter convivido deliciosos meses com ela, vc por ñ ter tido essa chance... Puxa... Precisamos mesmo entender o porque, isso é o minimo né?

Abraço, bjus!!!