Bem ti vi

Para você, Letícia, meu Bem-te-vi".
Viste, hoje, o passarinho na janela?
Tão frágil, tão pequeno, tão delicada fera.
Parece procurar-te, de primavera, em primavera. Até pousar cansado, noutra janela.
Ouviste-lhe, acaso, o canto de saudade? Também eu te procuro minha bela.
Encontro-te no meu peito, fiz-te um ninho, aconcheguei-te no meu altar.
É que aquele passarinho na janela lembrou-me o dia que há muito já perdi.
Bem me quiseste, e tanto bem te quis...
Quiseste mais, eu sei, compreendi. Tu frágil, doce, bela...
Lembro-me de ti. Esquecer-te, meu amor, seria como me esquecer de mim.
É que aquele último dia cerrou-te os olhos delicadamente, e entre beijos eu te vi partir...
Voaste!... Voaste firme e decididamente.
De volta para dentro de mim,
E eu... Fiquei aqui, a lembrar-te de ti, a sonhar contigo, esperando o dia em que poderei te ter aqui, em meus braços para abraçar-te, beijar-te, beijar-te, beijar-te..
Te espero até depois do fim.

Amigos

quinta-feira, 1 de março de 2012

Mês de Março...

Começo mês de março com um nó atado na garganta, vontade enorme de chorar, chorar, chorar...
Só em imaginar que mês que vem sera abril meu coração sangra...
Hoje conversando com uma amiga ela me diz:
Fabi, sabe que não concordo com esses medicamentos né,
Então eu disse a ela,
Amiga, perdi minha filha, minha neném, como viverei sem ela...
ou me drogo ou me mato...
Forte né?
Mas é assim que me sinto,
Se não me dopar, como conseguirei sobreviver sem um pedaço de mim...
Como respirar lembrando dela imóvel naquele cachão...
Como fazer nossas refeições sem me preocupar em preparar a papinha dela,
Como me sentar para comer na mesa e ver o espacinho que ela ocupava vazio...
Como dormir implorando para sonhar e saber que nem sempre sonharei com ela,
Como ver o Ricardo ir tomar banho de braços vazios se nos últimos tempos todos seus banhos tinha a companhia dela...
Como sair de casa, entrar no carro e sentir ele espaçoso sem a cadeirinha dela,
Como ir dormir sem primeiro amamentar minha Bebê,
Como ver o Ric ir dormir sem cantar para ela,
Como,
Como,
Como,
Março do ano passado eu me preparava para chegada dela...
Apostava com todo mundo que ela nasceria em março, embora os médicos dissessem que nasceria em abril...
Março do ano passado eu estava enorme, e me sentindo feliz da vida com meu barrigão...
Março do ano passado eu lavava suas roupinhas, passava, arrumava a mala do hospital, preparava os preparativos do chá de fraldas... Só pensava nisso e nossa, como estava feliz...
Hoje 01 de março eu choro a perda da minha filha, choro por sentir tanta saudade, choro por saber que ela não voltara...
Mês que vem ela faria 1 aninho, e eu a essas alturas estaria doida planejando sua festinha, preparando cada detalhe, com todo meu carinho, com todo meu amor...
E agora,

Vida injusta...

O que restou???

Que dor enorme, tem horas que penso não suportar...
Filha linda, saiba que a mamãe pensa em você em todos os minutos do meu dia, te ama mais a cada segundo...
Mês que vem fara um aninho, haverá uma grande festa ai no céu, e mamãe estará aqui, pensando em algo que me aproxime de ti...
Mamãe te ama mais que tudo PEQUENININHA!!!

12 comentários:

Kathia Porto disse...

Oi amiga

Não sei o q te falar,o q eu posso te dizer é Fabi quando eu li sua estoria pensei nossa estou sofrendo tanto por uma filha amada muito amada q só viveu no meu ventre por 9 meses ,imagino vc q esteve com a Lele por 6 meses com deve ser muito mais sofrido essa dor, vc é guerreira amiga por esta conseguindo viver eu te digo a sua vontade de continuar a vida meda força para eu continuar a minha eu no seu lugar tinha desistido mais vc não "nos trancos e barrancos"mais continua em pé.
Amiga no caso dos remedio somente nós q passamos por uma perda sabemos como nesse momento de LUTO é necessario por que sem eles eu tb não sei se estaria aqui.BJUS E q DEUS esteja com vc.

Fabi disse...

Oi Kathia, obrigada por me compreender...
Sei que também sofre... Pois como medir a dor de uma mãe né?
Se tem uma coisa que entendi nisso tudo é que perder um filho é perder parte da gente, no Facebook tem uns grupos de apoio que participo, la tem varias historias como a nossa, uma triste que a outra, tem mães que perderam seu bebe ainda na barriga, mães que perderam bebe, outras crianças maiorzinhas, e outras que perderam seus filhos ja em faze adulta... Pude perceber que a dor é a mesma, os porques são os mesmos... Nossa impossível entender porque uma mãe tem que passar por isso...
Injusto demais, cruel demais...
Em fim,
O jeito é se dopar para aguentar o tranco e continuar pelas outras filhas, pelo marido...
Vontade imensa de morrer, necessidade em continuar vivendo...
Obrigada pelo apoio, é fundamental que eu saiba que alguém me entende nessa vida...
Abraço,

Renielle disse...

Oi amiga Fabi!
Como é dificl né?..como ter uma vida normal depois da perda de um filho?..Sem explicação!!!..perguntas sem respostas...Infelizmente...
Mais saiba que vc não está sozinha!!!
Um forte abraço..sempre estarei por perto para o que precisar minha linda...

Fabi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fabi disse...

Renielle, minha amiga linda...
Obrigada por estar comigo,
Também estou contigo,
Abraço forte!!!

Ana Lucia Decorações disse...

Mês que vem fara no céu sim e aqui na terra nos que te amamos vamos estar ao seu lado preparar algo especial para celebrar o dia da nossa Princesinha!!!!!


conte comigo sempre!!!

Marla Desanoski disse...

Minha amiga Fabi, como é dificil, meu Deus eu não sei o que te falar, pareçe qu estou vivendo o mes de janeiro que estava triste e pensando como será o dia 01/02 o meu filho faria seu 1º aninho, e vc sempre me dando força cada post que postava no face uma palavra amiga tua, vc me ajudou muito realmente senti que tinha gente perto de mim me apoiando neste momento de dor, agora é a minha vez de retribuir amiga, quero que saiba que estarei aqui rezando por vc, e estamos juntas unidas pela dor, e um dia venceremos e voltaremos a ter paz em nossos corações...força...

nanda disse...

ai querida quem nunca passou por uma perda jamais vai entender o que significa,ainda mais sendo essa perda de um filho..a dor é na alma mesmo e nada parece resolver..perdi meu filho na barriga,nunca o vi mas isso não diminuiu em nada meu sofrimento,ninguem entendia e foi ai que descobri que amigos não me sobraram nenhum,encontrei amizade de verdade na net,blog perdi meu bebe e nos diversos depoimentos de mães que como nos perderam seus bens mais preciosos.
sinto muito mesmo por sua Leticia..infelizmente não existe resposta para tantas perguntas só Deus mesmo podera responder algum dia.
receba meu abraço bem apertado e meus sentimentos..precisando me grite!

Fabi disse...

Ana,
Faremos sim, sei que vai me ajudar... Conto com isso!!!
Obrigada.

Fabi disse...

Marla,
Lembro me dessa faze em estava tão triste, tão apreensiva... Hoje te entendo, sinto-me assim também...
O que fazer né???
Em fim,
Recebo todo esse apoio que você generosamente oferece a mim... Confesso que sem sua ajuda, tudo seria mais difícil...
Obrigada minha amiga, por tanto me ajudar, por tanta força me da...
Abraço apertado!!!

Fabi disse...

Oi Nanda,
Vi seu blog, e comentei la sobre isso que esta me dizendo... Entendo todas as dores, impossível medir a dor de uma mãe que perde seu filho, estando ele na barriga ou sendo ele em fase adulta... Dor da pela perda de um filho é a pior de todas as dores, é dor na alma...
Me senti feliz com a chegada do Cauan na sua vida, sinto que ele veio para salvar Vocês, não para substituir, impossível... Cada filho é único e coração de mãe sabe bem disso...
É isso,
Obrigada pelo apoio, pode contar comigo, só nós mesmo para entendermos umas as outras...
Abraço apertado em Vc também!!!

Andréa Sobral disse...

Fabi momentos dificeis,sinta o meu carinho e da minha familia a vcs.
Por vezes ficamos perdidos na vida, perdidos entre os outros, surdos às suas palavras e aos seus gestos de amor. As razões são dolorosas, eu sei, não sentimos mais emoção perante o que vemos ou ouvimos pois deixámos de querer prosseguir. Perdemo-nos do mundo e de nós próprios.

Depois, bem depois cada um de nós pede que as encostas íngremes da vida sejam suavizadas. Agitamo-nos a cada instante como se fosse esse o primeiro ou o último. Temos uma força que nem sempre sabemos de onde vem. Temos a esperança quando sentimos o calor do sol e espanto perante todo este universo e, ao mesmo tempo, vivemos com a dor maior de seguir em frente, dia após dia, continuando a sentir a ausência física do filho que amamos para todo o sempre. Podemos morrer e ressuscitar, ou viver e desistir...

Vamos ser fortes. Seguir em frente sob novas formas, nova sabedoria, nova...sempre nova vida, como uma renovação, lembrando que esse filho perdido é uma estrela para sempre refulgindo nos nossos corações.

Ofereço-vos este poema maravilhoso do grande poeta português Antero de Quental:




Feliz de quem passou por entre a mágoa
E as paixões da existência tumultuosa,
Inconsciente, como passa a rosa,
E leve como a sombra sobre a água.
Era-te a vida um sonho. Indefinido.
E ténue, mas suave e transparente...
Acordaste, sorriste... e vagamente
Continuaste o sonho interrompido.