Bem ti vi

Para você, Letícia, meu Bem-te-vi".
Viste, hoje, o passarinho na janela?
Tão frágil, tão pequeno, tão delicada fera.
Parece procurar-te, de primavera, em primavera. Até pousar cansado, noutra janela.
Ouviste-lhe, acaso, o canto de saudade? Também eu te procuro minha bela.
Encontro-te no meu peito, fiz-te um ninho, aconcheguei-te no meu altar.
É que aquele passarinho na janela lembrou-me o dia que há muito já perdi.
Bem me quiseste, e tanto bem te quis...
Quiseste mais, eu sei, compreendi. Tu frágil, doce, bela...
Lembro-me de ti. Esquecer-te, meu amor, seria como me esquecer de mim.
É que aquele último dia cerrou-te os olhos delicadamente, e entre beijos eu te vi partir...
Voaste!... Voaste firme e decididamente.
De volta para dentro de mim,
E eu... Fiquei aqui, a lembrar-te de ti, a sonhar contigo, esperando o dia em que poderei te ter aqui, em meus braços para abraçar-te, beijar-te, beijar-te, beijar-te..
Te espero até depois do fim.

Amigos

quarta-feira, 7 de março de 2012

Prontuario, em vez de um ponto. UMA VIRGULA,

Há alguns dias peguei o prontuário da Lelê, ou seja todo seu histórico medico que relata desde o Primeiro momento em que entramos no Incor, até a triste data que saímos de la...
Difícil falar o que penso ou sinto lendo esse histórico de duas mil paginas...
Solicitamos ele logo após o ocorrido e demoraram bastante a nos entregar... Quando recebi a ligação de la dizendo que estava pronto e poderia ir buscar, meu coração disparou, senti um calafrio em todo meu corpo... No dia seguinte o Ricardo foi buscar, e assim que chegou agarrei esse prontuario devorando as informações contidas nele, li todinho...
Em alguns momentos o desespero tomava conta, voltava ao momento exato da dor, da angustia, da aflição, porem em momento algum pensei em parar de ler... Queria ler, tentar entender...
Invão, como entender uma coisa dessas???
Jamais entenderei...
O conteúdo desse histórico é bastante confuso, muita informação técnica, muitos exames, laudos...
Em fim,
Foram 5 consultas até a data da internação, 1 internação, 2 cirurgias, 11 dias na UTI e o resultado todos já sabem...
Todos os dias eram feitos exames e anexados ao prontuario, tinha também o parecer medico, da enfermeira responsável, das auxiliares, e das fizioterapeutas... Em cada dia um resumo de como ela reagia aos procedimentos, em cada fim do resumo havia algo assim:
Recebeu a visita dos Pais, e em um determinado dia esta assim:
Recebeu a visita do Papai e da Mamãe, Pais amorosos, sempre presentes...
Isso tocou meu coração...
Poderia falar mais sobre esse Prontuario, mas ainda doloroso demais para mim...
Vou relatar apenas o ultimo laudo, escrito pelo cirurgião Drº Caneo:
Criança vem seguindo em observação devido a arritmia, por volta da 0:15H criança sofre uma taquicardia e em seguida parada cardíaca, é feito manobras de salvação e logo reage, sendo colhido então exames de emergência, aumentado as doses de medicamento e controlado com precisão cada monitoramento, mantendo-se estável até as 03:25 da manhã, horário em que sofre sua segunda parada cardíaca, manobras de salvamento foram feitas por aproximadamente 1 hora, porem sem sucesso, Criança chega ao centro cirúrgico em salvamento sendo massageada e recebendo grande quantidade de drogas, foi submetida ao procedimento de CEC (circulação extra corpórea)... 7:49h Paciente mantendo drogas: vasoativas (..., ..., ...,) instalado ECMO, sem resposta às manobras, evolui a óbito em centro cirúrgico. Constatado pelo Dr. Caneo, encaminho aviso de óbito a família e aguardo definição da família quanto a liberação com ou sem necropsia.
F I M...
Simples assim...
Da para entender???
Isso aconteceu durante a madrugada do dia 15/10/2011...
Inevitável não relembrar cada momento, um filme passa pela minha cabeça e vou relatar tudo novamente, com mais precisão, a eles do Incor tudo se resumi simples assim, mas a mim, tudo foi muito mais complexo, muito mais trágico, muito mais doloroso:
Minha filha foi internada dia 03, entrou brincando nesse hospital...
Dia 04 foi operada, a cirurgia que demoraria de 1 hora e meia até 3 horas, demorou 11 horas...
Antes de entregá-la no centro cirúrgico eu acordei ela, beijei, beijei, beijei, dei um banho bem gostoso e desci para esperar nossa vez, la na sala de espera do centro cirúrgico muitos pacientes esperavam para serem operados, a maioria pessoas idosas, tinha apenas 2 bebes, sendo uma delas minha filha... Enquanto esperávamos 1 a 1 foram entrando para serem operados, sentia o medo em seus olhares e falava com Deus... Senhor abençoe essa pessoa que nem sei o nome, seja seu medico, seja seu cirurgião, se faça presente, abençoe para que tudo de certo, amém...
Entraram todos, só ficaram os bebes, o outro bebe chorava de fome, chorou o tempo todo, e a Letícia calmamente em meu colo adormeceu... Entreguei ela nas mãos dos médicos dormindo, as lagrimas rolavam sobre meu rosto em silencio até esse momento, quando soltei ela nos braços do medico eu disse a ele... Drº, Quero que saiba que confio em você, mas antes de tudo entrego minhas filhas nas mãos de Deus, ele estará presente, você sera seu instrumento, e ele respondeu, amém...
Levou minha filha para dentro do centro cirúrgico, um grito preso em minha garganta não aguentou e escapuliu, sai pelos corredores chorando alto, e o Ricardo sempre ao meu lado dizendo:
Calma amor, tudo dará certo...
Ficamos esperando o medico nos chamar, demorou 9 horas para isso acontecer, vi o dia clarear, o sol da 12:00 brilhar forte, vi atardecer e escurecer, parecia que tinha passado mais, parecia que tinha passado um seculo... Então o medico Drº Marcelo Jatene (conhecido mundialmente como o melhor cardiologista infantil da América latina, Dr. Prof. Responsável pelo centro cirúrgico de cardiopatia congênita), nos chamou e disse, calma mãezinha, esta tudo sobre controle, a cirurgia não foi uma cirurgia simples, fácil, pelo contrario, foi bem difícil, mas tudo esta caminhando bem, então eu disse a ele, caminhando porque? A cirurgia ainda não acabou? E ele disse, ainda não, só vim para tranquilizar vocês, fiquem por perto, assim que acabar os chamo novamente...
Nossa, me desesperei... Sai andando dentre os corredores atordoada, até que entrei no banheiro e gritei...
DEUS ATÉ AQUI O SENHOR ME AJUDOU, PEDI, MUITO PARA QUE CUIDASSE DE MINHA FILHA, TE PEDI, TE PEDI, TE PEDI... MAS AGORA DEUS, EU TE IMPLORO, ELA ESTA NAS TUAS MÃOS, CONFIO EM TI, CREIO EM TI... INVADA AGORA AQUELE CENTRO CIRÚRGICO COM TUA LUZ, TUA GRAÇA, TEU PODER E TRAGA MINHA FILHA DE VOLTA...
Me acalmei e disse ao Ricardo, agora sim meu amor, tudo dará certo...
Mas 2 horas e acabou a cirurgia...
Podemos entrar no centro cirúrgico e vê nossa pequenininha, nunca me doeu tanto olhar para ela, toda cheia de fios e tubos pelo corpo, ainda sedada, dormindo, mexia suas perninhas para la e para cá... Isso me aliviou... Mas ela estava com febre, febre alta, fui informada que essa febre começou dentro do centro cirúrgico no momento da cirurgia...
O fato é que essa febre ficou por 9 dias, por isso ela não pode ser extubada, e eu não pude ficar de acompanhante a ela... Durante a primeira semana permaneci no hospital, dormindo em poltronas do lado de fora da UTI, até que me expulsaram de la... Sofri muito por ter que vir embora, quando entrei na minha casa pela primeira vez sem ela, chorei feito uma louca e lembrei do momento em que saiamos de casa para a internação, eu arrumei ela bem linda, nos despedimos das meninas, do bercinho e das bonecas... Eu disse a ela, vamos fazer um longo passeio, mas daqui uns 10 dias estaremos de volta, eu e você... Voltar para casa sem ela foi uma dor que não consigo descrever, entrei dentro de casa, dei de cara com seu bercinho, ajoelhei e orei...
DEUS ESTOU AQUI E MINHA FILHA ESTA LA, MUDE ESSE QUADRO, MUDE ESSA HISTORIA, A TRAGA DE VOLTA PARA O NOSSO LAR...Amém... Me acalmei e confiei!!!
No decimo dia cheguei ao hospital e de la de fora vi a maquina da temperatura desligada, a vi coberta e agradeci a Deus... A febre tinha passado... Cheguei perto dela e disse: GLORIA A DEUS!!! Filha você esta bem, logo vamos para casa, ela me olhou triste e virou o rostinho... Chorei, mas não perdi a fé... Atarde quando o Ricardo chegou entramos novamente e ele começou a brincar os brinquedinhos e ela acompanhava tudo com os olhinhos, estava com os braços amarrados, mas com os pés tentava pegar os brinquedos, eu disse a ele, Amor quando ela voltar para casa vai dormir 1 mês em nossa cama para matarmos a saudade, e ele me respondeu, até um ano meu amor...
Quando a medica passou a visita, ela nos disse:
A Letícia esta ótima, amanhã mesmo tiraremos o tubo mãezinha e você poderá ficar com ela... Nossa, meu coração se alegrou de uma maneira que não sei explicar...
Fomos embora confiantes, felizes... Nossa filha estava voltando...
No dia seguinte levei minha mala com roupas e objetos pessoais, ia ficar com ela... Quando cheguei, la de fora vi a maquina da temperatura ligada, senti uma pontada no peito, quando entrei minha filha estava mal, apática, olhar parado, com febre alta e arritmias cada vez mais fortes...
Me desesperei...
Chorei e orei o dia inteiro...
Eu dizia a Deus...
SENHOR, EU SEI QUE O SENHOR JA CUROU, NÃO CHORO POR TER MEDO DE PERDE-LA, SEI QUE ISSO NÃO ACONTECERA PORQUE O SENHOR O DONO DA VIDA NÃO PERMITIRA, CHORO POR VÊ-LA SOFRER, DEUS CURAR MINHA FILHA PARA TI É ALGO SIMPLES POR ISSO A CUROU, FAZER COM QUE ELA PARE DE SOFRER A TI É MAIS SIMPLES AINDA, POR ISSO DEUS ABENÇOE MINHA MENINA, POUPE ELA DA DOR, NÃO PERMITA QUE ELA SOFRA MAIS!!! DEVOLVA ELA A MIM, PARA SEMPRE SEREI GRATA A TI... OBRIGADA MEU DEUS!!! AMÉM.
Atarde quando o Ricardo chegou fomos conversar com a medica, e ela nos disse:
Fiquem calmos, tudo isso faz parte do processo, tudo isso sera controlado, não se preocupem, ela esta reagindo, logo ira para quarto, logo voltara para casa...
Vinhemos embora abatidos, chegamos em casa dobramos nossos joelhos e oramos...
O:00h telefone tocou, ninguém disse nada do outro lado da linha, voltamos a orar, confiantes voltamos a dormir...
As 3:45h o telefone voltou a tocar, acordei com uma ânsia, levantei depressa e quase desmaiei... Do outro lado da linha era do Incor, disseram ao Ricardo que nossa filha havia sofrido uma intercorrência e era para irmos para la...
Fomos...
Em estado de choque, anestesiados, sem falar, sem pensar, quase que sem respirar...
Quando chegamos uma enfermeira nos disse, sua filha sofreu uma intercorrência e esta no centro cirúrgico, esta sendo operada novamente...
Sem responder nada a ela, dobrei meu joelho e disse:
DEUS OBRIGADA POR ESTAR CUIDANDO DE MINHA FILHA, ME PERDOE SE EM ALGUM MOMENTO EU TENHA TITUBEADO, MINHA FÉ ESTA EM TI, POR ISSO SEI QUE TUDO DARA CERTO... OBRIGADA POR TANTO NOS AMAR, OBRIGADA POR SER UMA PAI TÃO PIEDOSO, OBRIGADA PELA CURA!!! AMÉM...
Ricardo ajoelhou e orou também...
Um tempo depois vem a medica e diz:
Mãezinha sinto muito, seu coraçãozinho parou e não voltou a bater, tivemos que colocá-la numa maquina para que a maquina faça o trabalho do coração, vamos tentar mantê-la assim, vamos deixar o coraçãozinho dela descansar, e eu disse, e depois?
Ela me disse:
Se ela conseguir se manter tentaremos recuperar seu coração, ou até pensar em transplante, e eu disse:
Ou?
Ela me disse:
Desligaremos a maquina...
Não acreditei nisso, o coração da minha filha estava parado... Porque??? E Deus???
nossa,
Eu disse a ela, minha filha já sofreu demais, por favor não deixe que ela sofra mais...
Me desesperei...
Logo em seguida chega a medica dela, Drª Vilma e diz, sinto muito mãe, vocês precisam ser fortes, as chances dela são realmente poucas...
Pouco tempo depois chamam essa Drª ao centro cirúrgico, logo nos chamam também, e ela nos diz:
Sinto muito, ela não resistiu, não conseguiu se manter, parou tudo...
Nesse momento, não o que dizer, não sei como avaliar o sentimento de tanta ira, sai de meu corpo, fui ao inferno e voltei...
O Ricardo se desesperou e chorou, muito, muito, muito... Olhando para ele, tirei forças não sei da onde, e disse a ele:
Calma meu amor, nossa filha não sofre mais!!!
Aos poucos nossos familiares foram chegando, eu anestesiada chorando, confusa, sem entender, fui comprar uma roupinha para ela... Escolhi uma roupinha branca com detalhes cor de rosa, entreguei naquele hospital, era então, a hora de procurar o local para seu sepultamento... Pode??? SEPULTAMENTO... NOSSAAAAAAAAAAAA, foi então que comecei a querer morrer também...
Como enterrar minha filha? tão pequenininha, como deixá-la em um cemitério???
De repente lembre-me do local onde esta minha Mãe, e fomos em busca disso, minhas irmãs me ajudaram...
Conseguimos enterrá-la junto com a Vovó... Puxa, de tudo, só isso me consolou...
Demoram mais de 10 horas para liberarem seu corpinho, saímos escoltando o carro funerário, e ao chegar no velório tirei uma tiarinha dela do bolso e pedi a minha irmã que colocasse nela, que a deixasse linda como sempre foi...
Achei que não teria forças para vê-la no caixão, mas dentro de mim eu sabia que era preciso...
Entrei, me aproximei e com toda minha força desejei minha morte...
Puxa,
Nunca saberei explicar o que sente uma mãe ao ver seu filho morto... É realmente a perda de nossa alma...
Chorei muito, perguntei a ela, porque tinha me deixado, e Deus???
Passei a noite toda com ela segurando meu dedo... Acreditem, ela estava segurando meu dedo... Sua mãozinha se encaixou perfeitamente no meu dedo... Assim foi sempre, desde que ela nasceu, sempre dormiu segurando meu dedo...
Então, quis acreditar que ela só estava dormindo, por isso passei a noite toda falando baixinho em seu ouvido, acorda filha, mamãe esta aqui...
Mas ela não acordou...
No meio da madrugada ouve um acidente de carro em frente ao velório, então todos saíram para ver o que tinha acontecido, ficando apenas eu e ela... Puxa esse foi nosso acerto de contas...
Disse a ela:
Filha linda, te amei desde o minuto em que você nasceu, e apartir de agora te amarei mais ainda, fique em paz, mamãe sabe o quanto lutou para estar aqui... Mamãe sabe, que não teve culpa, me perdoe se questionei você, mamãe te ama mais que tudo e para sempre te amara... Obrigada por ser eternamente minha, obrigada por tanta felicidade me trazer, obrigada por nos contagiar com sua alegria plena... Você foi perfeita como bebê e agora como Anjo sera mais que perfeita...
Logo depois chegou minhas outras filhas Karol e Gabi... Como explicar para 2 crianças que nossa caçulinha tinha partido, como????????????? Eu garanti a elas que isso não aconteceria, tinha fé suficiente para acreditar nisso.
Não tive palavras, apenas abracei-as e chorei junto a elas, eu disse a elas:
Sinto muito filhas, também fui enganada, também acreditava que ela ficaria bem, também não entendo, SINTO MUITO POR NÓS, mas saiba que ela não sofre mais, não sente mais dor, agora dorme, virou um anjo!!! Inconsolada a Gabi disse:
Mãe tadinho do Ricardo!!! nossaaaaaaaaaaaaa... Quanta dor sentimos....
Pela manhã chegou a pastora e disse algumas palavras de conforto, mas não me pergunte o que ela disse, não sei, não ouvi, não quis saber...
Logo em seguida vieram fechar o cachão, colocamos um brinquedinho que tocava musiquinha de ninar junto a ela, e quando fecharam o cachão a musiquinha começou a tocar... Nesse momento falei, minha vida acabou...
Na hora do sepultamento eu disse a ela:
Dorme em paz meu amor, até breve, me espera, logo estaremos juntas, mamãe te ama mais que tudo, te amo para sempre!!!

Foi isso,
Como vêem para mim não foi tão simples assim...
Minha filha foi morar no céu, todos os dias me pergunto o porque???
Enlouqueci no momento em que a deixei naquele cemitério e todos os dias enlouqueço um pouco, morri e todos os dias morro um pouco, até chegar o momento em que eu consiga entender o porque, se é que existe um porque??? Todos os dias acordo sem vida, sem animo e desesperadamente vou atrás de respostas, preciso disso para voltar a respirar e sentir um ar que não me esfaqueie por dentro... Jamais deixarei de sofrer, mas se ao menos entender o porque talvez eu consiga voltar a viver!!! Caso contrario é melhor mesmo enlouquecer de verdade ou morrer de uma vez...
Então me perguntam?
E suas filhas e seu marido como ficam???
E eu respondo, vivo por eles, para eles ofereço meu melhor, mesmo sendo absolutamente pouco... Porem não vivo mais por mim, minha vida de Fabiana enterrei junto com minha filha Letícia!!!
Resumi o máximo que pude, se fosse para eu dizer todos os detalhes, todos os sentimentos, todas as sensações, não terminaria nunca de escrever...
Hoje quase 5 meses que tudo aconteceu o que posso dizer:
AINDA NÃO ENTENDO, NÃO ACEITO, TUDO PERDEU O SENTINDO, DEVO ESTAR DORMINDO E SONHANDO UM TERRÍVEL PESADELO...

Filha linda meu amor por você é maior do que a distancia que nos separara, é maior que tudo, te amo e para sempre te amarei... Me espera, logo estaremos juntas!!!

10 comentários:

Ana Lucia Decorações disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
erika disse...

nossa..
me faltam palavras neste momento..

Ana Lucia Decorações disse...

Neste momento revivi tudo...
de o dia que liguei na sua casa como de costume ligava para saber como estavam, pois você tinha voltado a trabalhar e sabia que estaria com o coração apertado e o Ric. disse que haviam descoberto o problema do coração, naquele momento meu coração gelou mas respirei fundo ,pensei e falei vai dar tudo certo...
Do chá de bebê,da primeira vez que a vi quando ela nasceu ,o Ricardo o pai mais bobo que já vi na minha vida, a alegria das meninas, o Biel babando na priminha e você minha irmã com sua alegria Plena, diferente uma mãe de 3 viagem mas que parecia de primeira ,afinal teve as meninas tão jovem e agora mais madura mais segura...
Do dia antes da cirurgia que fui visita-los e achei ela tão frágil ofegante, mas sai dali pedindo a Deus que tudo desse certo, convicta que assim aconteceria
Do dia da cirurgia, quantas vezes liguei, aquela cirurgia que não acabava, que angustia, e aqui de longe pedia a Deus que tudo ficasse bem, e acreditava nisso...
Do dia e que liguei e você não quis falar comigo, me desesperei larguei tudo e fui lá ficar ao seu lado, foi a ultima vez que vi a Lelê, tão frágil pequena naquele hospital cheia de tubos, confesso que fazia muito tempo que não orava e naquele dia impus minhas mãos e pedia pra que Deus que a livrasse daquele sofrimento e tinha CERTESA que ele assim o faria, estava errada....
No dia que ela se foi me revoltei, nunca, nunca em circunstancia nenhuma da minha vida tinha questionado ou brigado com Deus, e naquele dia me ajoelhei no chão e disse a ele, você não tinha o direito de fazer isso com a minha irmã, não tinha.
Também não entendo, e não aceito as circunstancias, já tive desentendimentos horríveis com pessoas que admiro, por conta de julgarem uma situação que não sabem nem de longe o que é, sempre digo enterre um filho pra depois falar que agira diferente, eu não preciso e nem quero que isso aconteça com ninguém mas falo pra chocar, porque as pessoas precisam disso pra parar e pensar e respeitar a dor do outro.
Nestes quase 5 meses não teve um dia em que eu não pensasse em você e me preocupasse com você, não vou questionar a existência de Deus e nem tentar impor o que penso, ainda não sei ao certo.
Mas acredito que não acabou, que ela esta bem agora fora de um corpinho dodói, e que olha por você te visita em sonhos, te guarda te protege, acredito fielmente nisso...
Sei que isso vai contra tudo que eu acreditava que seguia, mas as circunstancias me fizeram pensar assim.

Lelê
No próximo mês faríamos uma linda festa, seria a mais linda de todas que já fiz, já tinha prometido isso a você, que ia ficar bem e que por tudo que estava passado ia ter a festa mais linda que a tia Aninha pudesse preparar, me perdoe Lelê a titã não conseguiu...
Mas inspirada em você quero fazer algo para celebrar o dia que um anjo lindo veio a terra e trouxe tanta alegria para todos nós, trazendo um pouco de alegria e carinho a crianças que não tem o que você teve, uma família linda e cheia de carinho.
Estrelinha linda, a titia ama você e aqui ta fazendo de tudo junto com o Papai as irmãzinhas para ajudar a cuidar da mamãe pra você , sei que você esta ai do céu também cuidando e protegendo a mamãe o Papai e as irmãzinhas, sempre, sempre te amaremos!

Bia.

Mais uma vez estou aqui, pra te ajudar te apoiar ou pra dividir as lagrimas com você, te amo!!!

Elis Marques disse...

o Amiga estou em lagrimas... muitas vezes me ali no seu lugar, entregar um filho no centro cirúrgico é horrível, angustiante, desesperador, na época eu acreditei ser a pior sensação que existia no mundo, mas infelizmente o tempo me provou que há sensações tão ruim quanto essa, é a de velos sofrer sem que possamos fazer nada e tem aquela que é sem nomenclatura, é uma dor imensurável é infinitamente pior do que tudo que eu poderia imaginar na vida(que é aquela de termos que entrega-los a Deus)... sabe Fabi as coisas ainda são muito confusas na minha cabeça as vezes eu fico pensando se o que dói mais foi perde-lo eu foi vê-lo sofrer da maneira que ele sofreu... chegou um momento que eu já pedia para que DEUS terminasse com toda aquela tortura... se fosse para levá-lo que assim fosse, pois eu não suportava mais ver o meu filho sofrer.... nem a morfina fazia mais efeito, ele tinha que ficar sedado para amenizar o seu desconforto e sua dor... meu filho foi morrendo dia a dia sem que eu pudesse fazer nada a não ser orar, dar amor e carinho... em outras ouras eu pedia perdão por ter pedido isso, pois eu não queria perdelo, eu não poderia suportar a minha vida sem o meu filho, eu implorava para que DEUS fizesse o MILAGRE na vida do meu filho amado, eu sei que se ELE quisesse era só estalar os dedos e meu filho seria curado, eu dizia que não precisava cura-lo do dia para a noite, mas que fizesse que o meu filho comssace a responder bem aos tratamentos e que quando os médicos(que já estavam fiacando desacreditados na cura)se surpreendam ao fazer os exames verem que o câncer tinha desaparecido do corpinho do meu menino.
Eu também não entendo quais são os propositos de DEUS... no primeiro momento logo que meu filho morreu, eu fiquei com a minha Fé bem fragilizada... eu não sabia mais como orar sem me sentir hipócrita... afinal Deus podia ter feito algo pelo meu filho e não fez nada... a não ser fazer ele morrer um pouquinho diariamente, sentir muita dor e sofrer fisica a psicologicamente... então eu pensava que DEUS é este que permite tanto sofrimento em crianças tão pequenas... e mesmo ELE já sabendo que no final tudo acabaria com a morte, por que ele deixou meu filho e tantas outras crianças que eu conheci naquele hospital sofrer tanto, serem mutiladas que amor é este que ELE tinha pelas crianças, era assim que ELE as protegiam... enfim hoje eu estou apreendendo a confiar, a ter fé e a não questionar os designos de DEUS... vivo um dia de cada vez e agradeço aos três anos três meses e os dezessetes dias que eu tive de convivência com o meu anjo... foram os melhores dias da minha vida...
Beijos minha linda amiga, me desculpa por não ter palavras bonitas e consoladoras para te dar... mas saiba que eu gosto muito de vc, e sempre te coloco em minhas orações... sei que o meu filho e o seu potinho de ouro devem estar brincando juntos lá no céu e também devem estar pedindo para o PAPAI DO CÉU ajudar as mãezinhas deles aqui na terra.

Elis Marques disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Marla Desanoski disse...

Amiga, amiga...o que dizer, nossa que triste, porque a vida tem que ser tão triste, nossa lendo senti a sua angustia e revivi a minha angustia, meu Deus...a gente que passou por isso, nos lembramos de todos os detalhes, né...ai amiga, é dificil muuuuiiitooo dificil...estou com minhas palavras todas embaralhadas, não há o que dizer...mas quero que saiba, sempre te digo, estou aqui...rezo por voce e por nós...
Sei que vc está decepcionada com Deus, eu já fiquei, ainda as veses me questiono, mas amiga sei que agora não vai entender, mas acredite um proposito Ele tem para nós, pra gente passar por esta imensa dor, nos não vamos passar por esta dor em vão, nós seres humanos somos muitos pequenos para entender os desgnios de Deus...
Amiga, minha grande amiga, vc sabe o imenso carinho que tenho por vc, e como torço pela sua melhora...Acredite amiga, vai chegar um dia que a dor vai passar e só irá restar um grande amor e saudades que sentiremos de nossos lindos anjinhos...AMO VC...

Carolina disse...

Nossa, Fabiana....Sou a prima da Regina
Sempre entro aqui acompanhar seu blog, nossa hoje não aguentei chorei muito, que dor sem palavras para descrever.
Olha saiba que pde contar conosco, estou aqui para te ajudar se precisar de mim pode contar comigo.
Estou orando muito por vcs.

Kathia Port disse...

Amiga o q dizes nessa hora quando estava lendo pude sentir sua angustia a sua dor o seu sofrimento a sua tristeza...Nós q passamos pela perda de nosso anjos é muito dificil relembrar vivemos tudo de novo,passou 3 meses é dificil para mim falar daquele momento o mais terrivel da minha vida pois lembro dos detalhes q só nos mães vivemos ,hoje eu vejo q vai passar anos e nunca vai ser fácil relembrar.Fabi o q posso te dizer é q estou aqui mesmo tão distante mais com pensomento e coração com vc amiga sua dor é minha dor.Um grande abroça BEEEEEEEEM forte.

Michele Carvalho Goulart Salomão disse...

Minha amiga querida... Que sufoco, que sofrimento sem tamanho...
Como ler este post e não chorar, não se emocionar. Lendo sua postagem entrei na historia como se estivesse la o tempo todo. Vendo ela entrar no centro cirurgico, o medico e infermeiras vindo com diagnosticos da Lele, vc chegando pertinho dela vendo seu olharzinho triste virando o rostinho, a dor nos olhos do Ricardo, a chegada em casa de braços vazios a despedida no caixãozinho e depois de tudo isso ver em alguns papeis o que ela passou neste 11 dias... Vc é forte amiga... Juro, estou sem ar aqui, sem saber o que fazer para tirar esta dor do meu peito.... Ohhh minha querida, não tenho mais o que dizer, desculpe... Te adoro... :(

Fabi disse...

Amigas me sinto esgotada... Precisava escrever tudo isso, colocar para fora... Parece que estava numa guerra, enquanto eu escrevia, eu revivia, chorava, suava... Nossa...
Faria de tudo para mudar o rumo dessa historia, daria minha vida pela dela sem pensar duas vezes...
Tento, juro que tento entender o porque, se eu conseguisse talvez seria menos doloroso... Mas sera que existe uma resposta??? Todos os dias me ´pergunto que mal eu fiz para merecer isso, então lembro-me da realidade, onde mães jogam seus filhos no lixo, ai penso... EU NÃO MERECIA... Que vida é essa que vivemos, quanta injustiça!!! É isso, emocionada demais com cada comentário que li... Posso apenas agradecer o carinho e a força que me dão... OBRIGADA, AMO VOCÊS!!!