Bem ti vi

Para você, Letícia, meu Bem-te-vi".
Viste, hoje, o passarinho na janela?
Tão frágil, tão pequeno, tão delicada fera.
Parece procurar-te, de primavera, em primavera. Até pousar cansado, noutra janela.
Ouviste-lhe, acaso, o canto de saudade? Também eu te procuro minha bela.
Encontro-te no meu peito, fiz-te um ninho, aconcheguei-te no meu altar.
É que aquele passarinho na janela lembrou-me o dia que há muito já perdi.
Bem me quiseste, e tanto bem te quis...
Quiseste mais, eu sei, compreendi. Tu frágil, doce, bela...
Lembro-me de ti. Esquecer-te, meu amor, seria como me esquecer de mim.
É que aquele último dia cerrou-te os olhos delicadamente, e entre beijos eu te vi partir...
Voaste!... Voaste firme e decididamente.
De volta para dentro de mim,
E eu... Fiquei aqui, a lembrar-te de ti, a sonhar contigo, esperando o dia em que poderei te ter aqui, em meus braços para abraçar-te, beijar-te, beijar-te, beijar-te..
Te espero até depois do fim.

Amigos

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Que todos saibam:

Para nós, Mãezinhas de colo vazio que vivemos um luto eterno:



A morte de um filho é a perda mais devastadora que existe.
Não podera nunca ser comparado a nenhum outro tipo de perda... FILHO É FILHO, SAIU DE DENTRO DE NÓS, É PARTE NOSSA, UM PEDAÇO DA GENTE!!!
É natural sentirmos mistas emoções, é maior dor que existe.
Leia através deste artigo como ajudar você a passar por esses momentos difíceis:

1- Saiba que você tem direito a todos os seus sentimentos e emoções. Durante o primeiro ano provavelmente você vai se sentir dormente. Você pode experimentar raiva intensa, culpa, negação e medo, tudo o que é normal para um pai enlutado. Para muitos, após o primeiro aniversário da morte de seu
filho, o entorpecimento começa a se desgastar e a verdadeira realidade pode abatê-lo de forma muito dura. Muitos pais dizem que o segundo ano é o mais difícil. É possível que o nosso cérebro crie essa dormência para proteger-nos de ficarmos loucos, de sentir a dor contundente de nossa perda de uma só vez.
2- Saiba que não existe uma tabela de tempo no seu processo de luto. Cada indivíduo é um indivíduo. Há muitas semelhanças nos processos que um enlutado passa, no entanto a jornada de cada pai é diferente em função da diversidade das circunstâncias da nossa vida.
3- Seja muito gentil com você mesmo. O luto pode ser egoísta, a fim de sobreviver. Coloque-se em primeiro lugar! Se você não cuidar de si mesmo, não vai ser muito bom para os seus entes queridos.
Você não está ficando louco, você não está louca, você está de luto pela perda de seu filho.
Se você puder, afasta-se do trabalho, será bom. Você merece esse tempo.
O sono é muito importante.
Lembre-se de tentar comer algo todos os dias e beber muitos líquidos.
Evite álcool e drogas ilegais . Estes podem aumentar sua depressão severa e criar um novo conjunto de problemas para lidar com eles.
Não permita que ninguém diga como você deve ou não sofrer. Só você sabe bem lá no fundo o que é melhor para você.
Saibam que é bom para tirar uma folga do luto, a sorrir, rir e aproveitar a vida. Isso não significa que você está se esquecendo de seu filho - porque isso é impossível.
Compreender que a perda de seu filho pode danificar a sua fé religiosa, é de certa maneira bom também. Dê um tempo e, você pode achar que você é capaz de retornar à fé, de qualquer forma, entretanto se você está de mal com a fé, acredite que Deus é grande o suficiente para lidar com sua raiva, raiva e tristeza. Se você não quiser retornar a sua antiga fé, ou se sentem simplesmente incapazes de, compreenda sua decisão, ela é sua.
4- Saiba que está cientificamente provado que a perda dessa magnitude é semelhante a uma grave lesão física.
5- Defina limites saudáveis para si mesmo. Dê a si mesmo espaço e tempo para lamentar. Saiba que não há problema em isolar-se e lamentar em privado, no entanto o equilíbrio é muito importante em todos os aspectos do processo de luto. É saudável:
Socializar / Atividades
Mídia / Cinema / Redes Sociais.
6- Encontrar uma rede de apoio. Existem muitos fóruns on-line dedicados a apoiar as pessoas que vivem com a perda, no entanto estar ciente de que muitos incluem todos os tipos de perda (pais, parceiros, irmãos, mesmo animais de estimação). Procure um que é especificamente para os pais em luto, para receber melhor compreensão de sua perda específica. Fóruns de mensagens on-line (O Google é uma grande avenida para encontrar grupos de apoio on-line)
Reuniões locais de apoio ao luto laicos, ou
sua instituição religiosa.
7- Leia livros sobre este tipo de sofrimento. (Mais uma vez o Google é um grande recurso)
8- Criar um memorial para seu filho. Muitos pais acham um grande conforto na criação de um memorial para seu filho, seja ele on-line, em sua casa, ou um jardim.
9- Espere pelo menos um ano antes de tomar decisões importantes.
Deslocalização (mudança de casa)
Casamento ou Divórcio
Grandes compras
10- Um conselheiro pode ajudar. Um conselheiro terapeuta pode ser difícil de encontrar, no entanto vale a pena se você precisar dessa assistência. Muitos pais acham que o aconselhamento não é muito útil se o conselheiro não viveu a perda de seu próprio filho. Toda a formação/graduação do mundo não pode ensinar a alguém o que um pai enlutado sente. Não se esqueça de entrevistar o conselheiro (terapeuta) sobre isso ao telefone antes de agendar uma consulta. Pergunte se eles já aconselharam pais enlutados antes.
Pergunte se eles têm estudado Tanatologia (estudo da morte) e se são capazes de fornecer aconselhamento para esse tipo de tristeza sofrimento.
Pergunte se o conselho será ou não de uma perspetiva religiosa (você "pode ou não" querer lidar com isso de uma posição de fé, e que irá influenciar a sua decisão sobre que tipo de aconselhamento vai servi-lo melhor durante este tempo.)
Perguntar se eles têm a disponibilidade de agendamento adequado para acomodá-lo. (Você pode sentir que você vai precisar de horas semanais longas sessões - não esqueça SUA programação para poder lidar com isso)
Pergunte sobre a sua metodologia no tratamento para dor / depressão / TEPT (Transtorno de Estresse Pós-Traumático).

12- Reavaliar seus relacionamentos. Alguns relacionamentos podem se tornar prejudiciais. Puxe mais aqueles que aceitam que você está mudado para sempre, e que são capazes de aceitar o seu processo de luto.
Distanciar-se e estabelecer limites fortes com aqueles que insistem em ditar o seu processo de luto.
Tente lembrar-se que ninguém pode compreender verdadeiramente o seu sofrimento, a menos que tenha vivido por si próprios. Tente deixar seus entes queridos, eles podem ajudá-lo, peçam que respeitem os seus sentimentos.
13- O tempo é um grande fator. Pode demorar algum tempo antes que você possa sequer olhar para fotografias de seu filho sem perder a essência. Memórias em fotos as vezes podem prejudicar a sua essência. Haverá o tempo que você venha a apreciar essas memórias, e elas vão mais uma vez lhe trazer um sorriso ao rosto, alegria ao seu coração. Mas o luto é semelhante a uma montanha-russa, ou a maré do oceano.
14- Combate o bom combate em honra de seu filho. Após a perda de um filho, os pais muitas vezes se sentem como se tivessem morrido também, que a vontade de viver foi com seu filho. Para alguns, encontrar um propósito na vida parece infrutífero, enquanto a outros são dados um novo propósito através da sua perda. Se o seu filho estava doente, considere dar seu tempo e esforços para uma instituição de caridade que trabalha para erradicar essa doença.
Se o seu filho foi morto em um acidente ou de maneira violenta, veja se existe uma organização dedicada a impedir que isso aconteça a outros. Um exemplo maravilhoso disso seria John Walsh, cujo filho Adão foi assassinado aos 6 anos - ele passou a ajudar a legislação como patrocinador para endurecer as leis sobre os condenados por violência contra as crianças, e através de seu programa de televisão, para pegar criminosos violentos. Nem todos podem ser John Walsh, mas pode haver coisas que você pode fazer em pequenas formas mais individuais que podem ainda beneficiar os outros, ajudando-se curar ao mesmo tempo.
15- Tente não sofrer por pequenas coisas. Como um pai enlutado estamos sobrevivendo o pior! Nada mais que acontece na vida poderia ser mais doloroso do que isto. Se você puder, lembre-se que a força que você descobriu na vida com a morte de seu filho significa que você pode sobreviver a qualquer coisa agora.
16- Saiba que você não está sozinho. Basta procurar ajuda. Ela existe.
Não coloque limites de tempo para sua recuperação. Pode levar anos antes de começar a se sentir normal de novo, e que o normal será uma nova normalidade. Pode ser que você nunca mais se sinta bem da mesma forma novamente, mas isso não vai significar que a sua vida não vale a pena viver - não será o mesmo, mas será de uma forma diferente, mudou para sempre pelo amor a seu filho, e dele ou dela para você.

Não espere que você passe um dia sem pensar em seu filho - nem deve mesmo querer isso. Você amou e ama seu filho claro, e terá muitas saudades dele ou dela para o resto de sua vida, e isto é bom.


SÓ O AMOR SALVA, OBRIGADA LETÍCIA POR DIARIAMENTE SALVAR A MINHA VIDA!!!

Filha, amor da minha vida, eterna em meu coração, para sempre você sera minha melhor lembrança, vivera para sempre em minha memoria e em meu coração.

É ETERNAMENTE MINHA!!!



Não abro de amar você, sei que nosso amor é imortal!!!
OBRIGADA POR SER MINHA ♥
MEU ANJO ♥
MINHA VIDA ♥



Nenhum comentário: