Bem ti vi

Para você, Letícia, meu Bem-te-vi".
Viste, hoje, o passarinho na janela?
Tão frágil, tão pequeno, tão delicada fera.
Parece procurar-te, de primavera, em primavera. Até pousar cansado, noutra janela.
Ouviste-lhe, acaso, o canto de saudade? Também eu te procuro minha bela.
Encontro-te no meu peito, fiz-te um ninho, aconcheguei-te no meu altar.
É que aquele passarinho na janela lembrou-me o dia que há muito já perdi.
Bem me quiseste, e tanto bem te quis...
Quiseste mais, eu sei, compreendi. Tu frágil, doce, bela...
Lembro-me de ti. Esquecer-te, meu amor, seria como me esquecer de mim.
É que aquele último dia cerrou-te os olhos delicadamente, e entre beijos eu te vi partir...
Voaste!... Voaste firme e decididamente.
De volta para dentro de mim,
E eu... Fiquei aqui, a lembrar-te de ti, a sonhar contigo, esperando o dia em que poderei te ter aqui, em meus braços para abraçar-te, beijar-te, beijar-te, beijar-te..
Te espero até depois do fim.

Amigos

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

1 ano que o céu recebeu uma estrela chamada Letícia Karina

Hoje coração da minha amiga Liliane esta ainda mais apertado de saudades e amor a sua bonequinha Letícia Karina, pois a 1 ano ela se despedia de um pedaço de si.
Como é possível viver faltando parte de nós mesmo?
Como é possível seguir com o coração sangrando em tempo integral???
Os dias vão passando lentamente, meses e hoje 1 ano longe de sua filhinha...
Eu Fabi também mamãe de uma princesa Anjo Letícia choro a sua e a minha dor, tento consolar o que bem sei não existe consolo.
Posso apenas dizer:
Força minha amiga Liliane, sua Letícia assim como a minha são estrelinhas que brilham e iluminam nossas vidas, encantam e alegram o céu com sua beleza e alegria plena.
ESTAMOS JUNTAS Lili, na dor, na saudade e no amor.
Abraço muitíssimo apertado em você 

Liliane diz:



Há um ano era Quarta-feira. Acordamos cedo, sabendo o que o dia nos reservava, o meu coração de mãe já sabia o desfecho daquele dia Hoje é uma data tão fria, tão triste, tão amarga que o que mais queria era apagá-la de minha vida... Queria dormir e acordar em outro mês e jamais lembrar que um dia perdi você... Naquele triste dia... Não entendo e jamais entenderei o pq de sua partida...  DEUS levou um pedaço de mim pro céu o nosso papai do céu veio buscá-la num sono leve.Queria muito que ela saísse da UTI viva,saísse nos meus braços. .Seria o último EEG e sabíamos o resultado. Como de costume as 7h fui até a UTI e perguntei como a Letícia passou a noite e ficamos ali na porta aguardando as 11h para vê-la,antes desse horário fomos até o carro pegar a roupinha que ela usaria para sair do Hospital...Sem vida...Peguei o macacão que comprei no dia em que soube que era uma menina e uma tiarinha,presente da madrinha Kátia. O Luiz a achava bonita de toquinha queria colocar nela e também para esconder os hematomas e para disfarçar que cortaram seus cabelinhos... Voltamos para nosso banco de espera... Na hora da visita as 11h não houve visita saíram com a Letícia para seu último EEG. Ficamos ali aguardando sua volta e os médicos arrumarem os aparelhos, era hora do almoço, mas quem iria querer almoçar?Eu queria vê-la. Entramos e ali ficamos com ela, logo vi o médico perguntar dos pais, sabia que era conosco, pensavam que estávamos almoçando. O médico veio e com muito jeito (era o mesmo médico que alguns dias atrás não confirmou para mim que ela estava sem sedação), ele vinha trazer o resultado do EEG. Então ele deu a notícia eu nem escutei direito, lembro que perguntei e agora o que irá acontecer vocês vão desligar os aparelhos? A médica disse que sim, mas seria desligado devagar e que se eu quisesse podia pega-la no colo, enquanto os aparelhos eram desligados, mas, nos deixaram alguns  minutos ali para nós. Quando recebi a notícia do último EEG, a única coisa que me ocorria era pegá-la em meus braços, coisa que não me haviam permitido até o momento. Perguntaram se eu queria segurar meu bebê. Eu disse que sim. Então me entregaram a minha filha, calma e linda, como se ela estivesse dormindo. Ficamos um pouco com nosso bebê, segurando-a e chorando. Ela era perfeita. Só que não estava viva. Rezamos pela última vez o Santo Anjo com a mão na sua cabecinha.  Eu ainda cantei para ela em meio as lágrimas: Dorme nenê que a cuca vem pegar... Chorei muito, doeu muito... Tentei... ela perdendo a vida no meu colo...os últimos instantes em que eu pude segurá-la e sentir o seu calor . Como foi duro deixar o seu corpinho que cuidamos, zelamos com tanto amor e carinho. Não me esqueço de cada curvinha, dobrinha, suas mãozinhas, pezinhos, cheirinho, quantos cuidados tivemos, nunca teve assadura, o umbiguinho... Como dói minha pequena, quanta saudade... Como foi duro a ver partir na minha frente, ver seu último suspiro, mas sei que ela sabia o quanto eu e o Luiz a amávamos, pois nós falávamos o tempo todo o quanto a amávamos; e não só com palavras, mas dedicávamos tempo à ela... O que entristece é saber que muitos que também ganham tesouros de Deus, jóias preciosas, não têm dedicado tanto tempo dizendo o quanto o ama, não têm tido tempo de brincar com seus filhos, de participar de suas vidas, de corrigi-los quando preciso, de contar uma história, de fazê-los se sentir amados. Não é possível perder tempo, é preciso aproveitar as oportunidades, porque o que é certo é o hoje, o agora, o minuto seguinte pode mudar tudo... Naquele momento ímpar, vendo o monitor cardíaco diminuir os batimentos e minha filha ir embora, eu  recordei a seqüência de acontecimentos dos últimos dias: as várias consultas médicas, a minha insistência em dizer que ela não crescia, não engordava, não ia para frente, não estava dormindo bem,que vomitava depois das mamadas,que estava com diarréia… E todos os indícios não investigados e todas as suposições rechaçadas. Batizar a minha filha ali mesmo. Quando sentimos que havíamos nos despedido, beijei minha filhinha e entreguei-a à enfermeira. Não posso explicar, mas não era desespero. Eu não estava histérica. Estava desolada, mas não de uma maneira destrutiva. Estranhamente, eu senti que meu tempo com a Letícia tinha sido completo. Lá no fundo, eu de alguma forma sabia que ela tinha vivido pelo tempo exato que precisara. E embora aquela fosse à experiência mais excruciante que eu vivera, senti que tinha sido abençoada por ter podido carregá-la, amá-la e tê-la por 54 dias. Tínhamos sido abençoados..
UTI, retornamos à nossa cidade carregando Letícia sem vida... foi no bebê conforto,retornou num caixãozinho.Voltamos para nossa cidade há 400Km dali,ali eu rezava,alguém tinha falado que ela poderia virar o rosto no caixãozinho,eu não queria isso...Chegando a Joaçaba passamos em outra funerária para colocar umas florzinhas e ajeitar o corpinho dela,pediram se eu queria um veuzinho eu pensei que poderia ser usado no casamento dela e não sobre seu corpinho sem vida...Fomos ao velório acompanhando o carro fúnebre e me espantei com a quantidade de pessoas nos aguardando eu entendi que eles não aguardavam nós,mas, minha anjinha, que era muito amada mesmo sem  ser conhecida.Agradeço a equipe da UTI neonatal e geral do Hospital Infantil Joana de Gusmão que cuidou da minha filha com muito amor e carinho. São profissionais assim que fazem a diferença em um tratamento tão 

difícil.
Nossas Letícias, Anjos de nossas vidas!!!

Resolvi pedir a DEUS pra que eu possa te guardar
Ser teu ANJO protetor te velar e te cuidar
Quando eu precisei pôs tua vida em mim
DEUS permita-me ser teu ANJO aqui.
Eu pedi pra DEUS gravar o teu nome em minha mão
DEUS foi muito mais além te gravou em meu coração
Já não posso mais esquecer de ti
Tua vida DEUS trasplantou em mim.
Há um ANJO aqui que intercede por ti
Trago um pedaço do céu num olhar pra te dar
Há um ANJO aqui bem pertinho de ti
Basta acreditar SOU TEU ANJO aqui.

Obrigada por ser meu Anjo Filha linda!!!


Saudade minha estrelinha, saudade imensa... AMOR MAIOR!!!

Um comentário:

EDIANE e WAGNER disse...

Deus também levou para o céu minha pequena Ana clara, foi 79 dias de angustia na uti, minha pequena nasceu com a sindrome patal mas descobrimos depois de 12h de vida permaneceu no hospital por 18 dias e Deus permitiu que fosse para casa por 9 dias foi maravilhoso poder cuidar amar-la beija-la cada parte de seu corpinho, mas um dia antes do dia das mães de 2012 eu internei e foi até o dia 05-07-2012 o dia que Deus levou minha metade, você pode imaginar o quanto minha filha foi desejada meu marido e eu planejamos ter nossa primeira filhinha mas esse não era os planos de Deus, é uma dor imensa um vazio que nada preenche sinto falta de tudo o que vivi e o que não vivi com meu ajno... Eu sei o que vc senti mas a unica coisa que nós ergue se chama JESUS EU AMAREI ETERNAMENTE PORQUE SEI QUE CUIDA E AMA MINHA PEQUENA PAZ LUZ É O SIGNIFICADO DO NOME DA NOSSA ANA CLARA.....
DESEJO A VC TODO AMOR DE JESUS