Bem ti vi

Para você, Letícia, meu Bem-te-vi".
Viste, hoje, o passarinho na janela?
Tão frágil, tão pequeno, tão delicada fera.
Parece procurar-te, de primavera, em primavera. Até pousar cansado, noutra janela.
Ouviste-lhe, acaso, o canto de saudade? Também eu te procuro minha bela.
Encontro-te no meu peito, fiz-te um ninho, aconcheguei-te no meu altar.
É que aquele passarinho na janela lembrou-me o dia que há muito já perdi.
Bem me quiseste, e tanto bem te quis...
Quiseste mais, eu sei, compreendi. Tu frágil, doce, bela...
Lembro-me de ti. Esquecer-te, meu amor, seria como me esquecer de mim.
É que aquele último dia cerrou-te os olhos delicadamente, e entre beijos eu te vi partir...
Voaste!... Voaste firme e decididamente.
De volta para dentro de mim,
E eu... Fiquei aqui, a lembrar-te de ti, a sonhar contigo, esperando o dia em que poderei te ter aqui, em meus braços para abraçar-te, beijar-te, beijar-te, beijar-te..
Te espero até depois do fim.

Amigos

sábado, 11 de agosto de 2012

Como é a dor de perder um filho?

- Se pudesse explicar diria que:
É a dor de um vazio que se abre,é sentir um pedaço do coração faltar, é olhar para o horizonte e vê-lo triste, é olhar pra trás e viver de recordações, de belas lembranças e sentir as lágrimas rolarem pelo rosto como uma torneira aberta ,e não ter como fecha-la.
É sentir um nó se fazer na garganta que fica a sufocar...
É ter milhões de motivos para continuar a viver mas nenhum deles ser suficientes para nos levantar. 
É sorrir, é entender, mas não conseguir aceitar. 
Para suportar a dor de perder um filho é viver pela Fé, é não fazer perguntas para Deus, não exigir suas respostas,e ver através de acontecimentos a presença do filho vivo...
É viver de lamentações constante quando a dor da saudade apertar. 
É solidarizar com aqueles que vivem a mesma dor procurando através deles se confortar. 
É reaprender viver novamente de uma maneira diferente onde a alegria é temporária e o vazio é constante Principalmente nos momentos em que a família se reúne em datas comemorativas, festivas, mas, é manter a paz pois mesmo na dor sente a presença do filho a nos confortar.

Quase 10 meses que minha filha foi morar no céu e eu ainda não consigo organizar meus pensamentos, é muita confusão, é muita dor...
A saudade é como uma sentença e sei que estou condenada para sempre. Mas o amor é algo tão sublime e majestoso que não há como definir, é maior que tudo, esse amor mantem viva a lembrança da Letícia comigo 24 horas por dia, é meu primeiro, segundo, todos os demais até o ultimo pensamento do dia, lembro com alegria, com tristeza, com dor, como balsamo, com carinho, com saudade.
Esse amor me faz acreditar que ela vive no céu, que é minha estrelinha a me iluminar, meu anjo a me abençoar, minha pequeninha, minha caçulinha, minha filha tão querida, tão amada Letícia.
É a mais linda lembrança, minha maior saudade, minha eterna realidade!!!
MEU AMOR MAIOR ♥



2 comentários:

Marla Desanoski disse...

é como eu digo, para entender, só passando pela mesma situação mesmo, eu sinto exatamente o que vc postou, eu digo o seguinte, mães que já perderam filhos nunca mais voltamos ser o que eramos, ficamos incompletas para o resto da vida, tenho meus filhos, se pudesse teria outros, mas aquele que foi jamais ficara sempre o teu espaço o espaço que falta. bjusss fica com Deus...

Sônia Kelles disse...

Perder um filho é a maior dor que um ser humano pode passar !
Perder um filho é viver na saudade !

Que Deus possa consolar nossos corações e nos fazer intender a sua vontade !