Bem ti vi

Para você, Letícia, meu Bem-te-vi".
Viste, hoje, o passarinho na janela?
Tão frágil, tão pequeno, tão delicada fera.
Parece procurar-te, de primavera, em primavera. Até pousar cansado, noutra janela.
Ouviste-lhe, acaso, o canto de saudade? Também eu te procuro minha bela.
Encontro-te no meu peito, fiz-te um ninho, aconcheguei-te no meu altar.
É que aquele passarinho na janela lembrou-me o dia que há muito já perdi.
Bem me quiseste, e tanto bem te quis...
Quiseste mais, eu sei, compreendi. Tu frágil, doce, bela...
Lembro-me de ti. Esquecer-te, meu amor, seria como me esquecer de mim.
É que aquele último dia cerrou-te os olhos delicadamente, e entre beijos eu te vi partir...
Voaste!... Voaste firme e decididamente.
De volta para dentro de mim,
E eu... Fiquei aqui, a lembrar-te de ti, a sonhar contigo, esperando o dia em que poderei te ter aqui, em meus braços para abraçar-te, beijar-te, beijar-te, beijar-te..
Te espero até depois do fim.

Amigos

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Luto.

Nunca vou me acostumar com a morte, deveria, afinal já perdi irmãos, avós, Mãe e até uma filha, mas a morte é algo que assusta, embora queiramos acreditar que a vida continua, que do outro lado é muito melhor, nunca estamos preparados para perder ninguém, o melhor mesmo é garantir a vida aqui mesmo na terra mesmo essa vida tendo perdido valor com cada ent amado que parti.
Perder meus avós doeu, perder meus irmãos doeu também, minha mãe nem  se fale, mas perder minha filha foi a pior coisa que já me aconteceu, a dor mais intensa que já senti, o tempo passa e com ele não a nada da dor diminuir e para ser sincera sei que minha dor estará comigo enquanto vida eu tiver, a cada dia a saudade sufoca mais, aperta mais, judia mais, o amor aumenta como algo que nunca vi igual, minha filha é sem duvidas o maior amor da minha vida, foi e sera eternamente, o amor que sinto por ela me faz acreditar que exista um céu, que exista uma vida após essa e é nela que ela esta a espera de um dia me ver chegar. Sonhar com  ela para mim é tudo o que ficou de melhor nessa vida, é reencontra-la e renovar minha fé, minha esperança de um dia te-la novamente junto a mim. Por isso me mantenho aqui, vivo uma vida difícil de saudades, mas sobretudo de sonhos, esperança e amor, sei que nada nesse mundo é mais valioso para mim do acreditar nisso.
Sigo adiante, cuidando do meu marido, das filhas que ficaram e do filho a caminho, vivo minha vida, mas sonho com minha morte, pois de uma maneira estranha percebi que minha vida terá ainda mais valor no momento em que eu morrer, em que morrerem os meus, pois só assim estaremos completos. Sei que tudo tem seu tempo e não saber quanto tempo nos falta me angustia por muitas vezes, mas sei também que da morte ninguém escapa, por isso minha amada e doce filha digo que cedo ou tarde agente vai se encontrar e tudo voltara a ser perfeito.
Não me acostumo com a morte dos outros,não posso imaginar passar por isso novamente, quero que a lei natural da vida se cumpra em minha família ao qual filhos enterram seus pais, não gostaria que fosse agora porque não gostaria de deixar sofrendo aqueles que eu amo, minhas filhas ainda pequenas, gostaria muito de morrer depois que elas estiverem encaminhadas, forem adultas e bem relacionadas, vivendo uma vida estável, maduras para lidar com minha partida.  Tenho muito medo de as perder, mas perdi o medo de minha própria morte, não tenho medo de morrer, Noentando gostaria que o tempo passasse numa velocidade maior, não quero ser injusta com minhas filhas, mas quero muito estar com a outra também.
Enquanto isso sigo a missão que a mim foi dada e que a Letícia veio me mostrar, sigo ajudando Mães que também perderam seus filhos, é difícil porque não há consolo para morte, não palavras que sejam amigas, não há remédio que cure, não há tempo que passe o suficiente, há muita dor em meu coração, mas sobre tudo muito amor aquela que brilha no céu a me iluminar.
Saber de uma noticia de morte de um bebe é devastador, atormenta minha alma, inflama minha ferida, noentando uma força dentro de mim me faz sair do casulo e distribuir amor.
Diariamente chega a mim pedidos de oração a bebes cardiopatas que estão prestes a operar, acho estranho porque eu não faço mais orações, mas em minha mente fica a vontade imensa de que tudo de certo, meus pensamentos, minhas vibrações são sempre de vitoria, acreditando realmente na cura, no melhor a cada criança. Há menos de um mês soube da história dessa Princesinha, algo nela me impressionou, tenho certeza de que quem olha sua foto se surpreende também com esse sorriso lindo, é realmente uma linda lição vida, uma criança que nasce cardiopata, passa por 4 cirurgias de coração e sorri com tanta harmonia e sinceridade é mesmo impressionante, apaixonante.

Hoje a noticia de seu falecimento, fez-me sentir uma raiva, uma revolta que não sei explicar, então encontro consolo em acreditar que é um Anjo, cumpriu sua missão e foi brilhar no céu.
Ela não é minha filha, não filha de um amigo ou parente, perdi minha filha a 1 ano e 7 meses, passei por todos os estágios do luto, cheguei a enlouquecer algumas vezes, tive vontade de dormir e não acordar mais, fui submetida a tratamentos e a drogas fortíssimas como calmantes, e ante depressivos, levantei e cai varias vezes, hoje estou em pé e ainda sim sinto toda essa raiva e revolta como senti quando minha Letícia partiu, o desespero que há em mim é de relembrar com riqueza de detalhes como tudo aconteceu, mas é também ao imaginar a Mamãe e Papai dessa Princesa linda, a dor ao enterrarem sua filha, o desespero ao deixarem em um cemitério frio e gelado sua tão pequena filha.
Inevitável não questionar a Deus, a vida, a tudo e todos o porque que tem que ser assim? porque minha filha? porque a filha deles? porque bebes vem ao mundo para sofrerem e depois morrerem. Eu Fabiana já estudei a cartilha de que são anjos com missões breves na terra que vem para mudar nossas vidas, para trazer um amor sem limites, para nos ensinar algo que precisamos e devemos aprender, mas e essa mãe? o caminho até chegar a esse raciocínio que as vezes nos fogem é tão longo, tantas lagrimas derramara, tanta dor sentira, tantos porquês perguntara... Perguntas sem respostas!!!
Eu poderia acabar esse post desejando que Deus console o coração desses pais, mas não posso porque antes disso desejei que Deus a cura-se e isso ele não foi capaz, sera capaz de mais oque? a minha filha também não há curou, a mim também não consolou... É bonitinho falar que Deus faz isso ou aquilo mas na pratica ele nos faltou. Então posso desejar apenas que o tempo passe rápido pois a certeza de que ele não cura, nem diminui a dor, porem nos ajuda a conviver, nos ensina a buscar algo que realmente nos console, cada um acredita de uma maneira, respeito, se é verdade o que buscamos acreditar eu não posso afirmar, posso dizer apenas que de uma maneira ou outra acalma nossos corações.

Eu busquei acreditar em algo que aliviasse minha dor, e encontrei no espiritismo algo que me diz que minha filha vive no céu, que um dia iremos nos encontrar, que temos um laço de amor verdadeiro que não se rompe com a morte, que estaremos juntas eternamente.

Eu acredito minha Uvinha linda!!! Meu amor maior!!!

Amigas que tanto me ajudaram e ajudam, tenho o contato da mãezinha da Alice que faleceu ontem anoite e foi enterrada hoje, se quiserem se unir a mim para de alguma maneira ajuda-la seja como for ou simplesmente distribuindo amor, entre em contato comigo e eu a indicarei.

Lagrimas:

Agora é com nós Mães de Anjos, sabemos que não há consolo, mas há muito amor em nossos corações, aos nossos anjos a cada bebe que vira Anjo e a cada Mãe que se torna amputada e de braços vazios... 
vamos juntas buscar forças para ampara-los?

juntas somos mais fortes, precisamos gritar em voz alta que essa pequena princesa não acabou apenas foi morar no céu, brilhar entre as estrelas... 
Letícia filha linda mais uma amiguinha, recebe essa flor.

Coração que dói, que sangra, mas que ama acima de tudo!!!
Fabi.

Um comentário:

Casal Apaixonado disse...

Nossa!
Não pude conter as lágrimas diante desse relato..
Parece que qdo sabemos de uma mãezinha que passa por essa dor da perda revivemos de forma intensa a nossa própria dor..