Bem ti vi

Para você, Letícia, meu Bem-te-vi".
Viste, hoje, o passarinho na janela?
Tão frágil, tão pequeno, tão delicada fera.
Parece procurar-te, de primavera, em primavera. Até pousar cansado, noutra janela.
Ouviste-lhe, acaso, o canto de saudade? Também eu te procuro minha bela.
Encontro-te no meu peito, fiz-te um ninho, aconcheguei-te no meu altar.
É que aquele passarinho na janela lembrou-me o dia que há muito já perdi.
Bem me quiseste, e tanto bem te quis...
Quiseste mais, eu sei, compreendi. Tu frágil, doce, bela...
Lembro-me de ti. Esquecer-te, meu amor, seria como me esquecer de mim.
É que aquele último dia cerrou-te os olhos delicadamente, e entre beijos eu te vi partir...
Voaste!... Voaste firme e decididamente.
De volta para dentro de mim,
E eu... Fiquei aqui, a lembrar-te de ti, a sonhar contigo, esperando o dia em que poderei te ter aqui, em meus braços para abraçar-te, beijar-te, beijar-te, beijar-te..
Te espero até depois do fim.

Amigos

terça-feira, 11 de junho de 2013

Flavia Magnani

A pior coisa que me aconteceu foi a partida da Letícia para o céu... Sim, ela esta no céu a salvo, sendo amada e muito paparicada pelas as avós e avô, se tornou um Anjo lindo a me iluminar, tenho total, plena e absoluta certeza de que isso é real, que um dia iremos nos reencontrar, mas mesmo assim isso foi o pior de tudo em minha vida, depois que a Letícia partiu nada mais me causara tanto sofrimento, tanta dor... Calejei e calejada estou até o dia em que eu finalmente partir.
E a melhor coisa que me aconteceu desde que minha filha partiu para o céu foi a amizade que conquistei de outras mamães de colo vazio, difícil falar individualmente de cada uma pois são realmente muitas, porem cada uma tem um significado e uma importância especial em minha vida.
Flávia Magnani é uma dessas tão especiais amigas Mamãe de Anjos, perdeu seu filho Dudu logo que ele nasceu e assim como eu, não pode entender, tão pouco aceitar... Sofreu muito, mas com muita coragem não desistiu de lutar, de viver, de cuidar de suas meninas  suas 2 filhas já mocinhas, e mais que isso, foi em busca de algo maior, algo que devolve-se sua paz, sua alegria, e Engravidou novamente. Na sua primeira ultrasson para descobrir o sexo, um susto, pois o medico disse que era menina, aceitou com amor aquela que viria para mudar sua vida, mas como sua felicidade precisava ser completa e ela tinha um Anjo exclusivo no céu, na segunda ultra a confirmação a base de muita emoção... Menino... Logo Rodrigo nasceu, lindo, saudável, perfeito e mudou radicalmente a vida de minha amiga, em seus olhos novamente o brilho em seu olhar, seu coração mesmo que divido entre o céu e a terra parecia não doer tanto e em seus braços um pacotinho vestido de azul.
Flávia esforçada e iluminada trabalhava, e concluía seu ultimo ano na faculdade... Se formou. E agora que tudo estava perfeito se preparando para a festa de 15 anos de sua filha, aos 35 anos de idade e nenhum histórico cardíaco ela sofre um infarto fulminante e parte ao encontro de seu tão amado Anjo Dudu.
É Flavinha quantas vezes desejamos isso?
Eu, inúmeras vezes desejei minha morte para poder finalmente encontrar e viver ao lado de minha filha no céu, mas a incerteza de que se provocasse isso tiraria de mim o direito de estar com ela, me fez desistir... Medo de morrer eu não tenho pois sei que todos tem sua hora e na hora certa tudo ira conspirar para esse reencontro, a impossibilidade de nos fazer adiantar esse tempo é o que nos faz aprender a viver sem um pedaço de nós,  é o que nos faz ainda que timidamente dar continuidade a nossas vidas, aos planos e sonhos. Ter um outro filho é maior passo que uma mãe de Anjo pode dar, é numa maneira inconsciente de  voltar a querer sorrir, a querer viver momentos felizes, a ter fé.
Uma mãe de Anjo optar por outro filho é a escolha mais sabia e cheia de amor que uma pessoa pode ter, é costurar com suas próprias mãos o arrombo em seu coração.
Flavinha teve essa atitude e constatou por si própria que estava certa, que fez a escolha certa em optar por voltar a viver no lugar de se arrestar pela vida a fora. Flavinha lutou, conquistou e venceu... Puxa, quanto orgulho sinto de minha amiga Flavinha.
Flavinha foi um dos maiores exemplos de superação e amor que conheci entre todas aquelas tão queridas e especiais mamãe de Anjo. Foi aquela me aconselhou a ter outro filho, que me apoiou em minha gravidez, que caminhava comigo segurando-me pelas mãos.
Flavinha agora partiu... Foi a primeira de nós a reencontrar o filho amado no céu...
Puxa, como almejamos por isso...
Aos 35 anos sem nenhum histórico cardíaco, Flávia sofre um infarto fulminante enquanto trabalhava e parte ao encontro de seu Anjo amado Eduardo.
Triste pela falta que me fara, triste pela falta que ela fara a todas nós mamães de Anjos, mas triste ainda pela falta que ela fara ao seu tão apaixonado marido e inconsolavelmente triste pela falta que ela fara as suas 2 filhas e ao seu bebezinho Rodrigo...

Em meio a tanta tristeza consigo sentir-me feliz ao imaginar Flavinha chegando no céu e recebendo em seus braços seu tão amado Anjo Dudu.
Aproveita minha amiga, de todo amor que ficou ai exprimido em seu coração a quem de direito, encha esse Anjo lindo de carinho e amor, pois o lugar de toda criança é sem duvida nos braços de sua Mamãe. E de quebra, de uma espiadinha em minha filhota por mim, de um cheirinho, um beijinho e diz que um dia eu estarei com ela como Você hoje esta com o Dudu.
Me espera filha, assim como a Flávia, um dia eu chego até ai e nesse dia, se prepare:
Te encherei de beijinhos... Docinho mais doce do que doce da minha vida, amo maior!!!

2 comentários:

Lígia de Aquino disse...

Nossa, estou sem palavras... Sim ela foi merecedora, esta mulher, mãe guerreira hoje recebe em seus braços seu filho tão querido, tão desejado e deixa 3 filhos que sentirão muita falta desta que sem dúvida é um exemplo de mãe. Que Deus conforte toda sua família, que Deus proporcione o mais lindo encontro entre mãe e filho.

Lumagnani Magnani disse...

Me chamo Luciene, Sou tia da Flavia...trabalhei com ela até o último dia de vida...ela morreu nos bços do meu esposo a quem ela considerava como pai...Buscando na internet algo q pudesse aplacar minha dor e sdd, encontrei essa homenagem de vcs..Merecida! Foi uma guerreira e até o fim...incansável! Estava sempre recomeçando...Qdo tudo parecia perfeito, Deus a tira de nós...Contestar? Jamais! Mas a saudade é cruel..Perdi uma filha e todos nós ganhamos uma lição de vida...A última frase dela foi:" Hoje eu só quero q o dia termine bem..." Bjs em todos e obg