Bem ti vi

Para você, Letícia, meu Bem-te-vi".
Viste, hoje, o passarinho na janela?
Tão frágil, tão pequeno, tão delicada fera.
Parece procurar-te, de primavera, em primavera. Até pousar cansado, noutra janela.
Ouviste-lhe, acaso, o canto de saudade? Também eu te procuro minha bela.
Encontro-te no meu peito, fiz-te um ninho, aconcheguei-te no meu altar.
É que aquele passarinho na janela lembrou-me o dia que há muito já perdi.
Bem me quiseste, e tanto bem te quis...
Quiseste mais, eu sei, compreendi. Tu frágil, doce, bela...
Lembro-me de ti. Esquecer-te, meu amor, seria como me esquecer de mim.
É que aquele último dia cerrou-te os olhos delicadamente, e entre beijos eu te vi partir...
Voaste!... Voaste firme e decididamente.
De volta para dentro de mim,
E eu... Fiquei aqui, a lembrar-te de ti, a sonhar contigo, esperando o dia em que poderei te ter aqui, em meus braços para abraçar-te, beijar-te, beijar-te, beijar-te..
Te espero até depois do fim.

Amigos

sábado, 21 de setembro de 2013

8 meses

Em Fim 8 meses...
Logo mais o chá de bebe da Mariana...
Puxaaa, 
♫ ♪ você não sabe o quanto caminhei pra chegar até aqui ♫ ♪

Respiro um tanto aliviada por saber que finalmente o relógio começou a girar e logo estarei de braços ocupados novamente...
Ansiosa, e cheia de amor pra dar a você Marianinha que nem nasceu ainda e se sente a bailarina dançando o tempo todo dentro de mim...

Meu coração....
Ahhh, meu coração...
Pulsa por amor as filhas queridas e saudade a filha que faz parte do meu quarteto, quisera eu fosse uma simples saudade, aquela saudade gostosa que acalenta o coração e nos faz suspirar sentindo uma deliciosa sensação de paz como sinto por ao lembrar de minha Mãezinha querida, amada... mas essa saudade que sinto ao pedaço que falta em mim nem nome tem.

SAUDADE DE UMA MÃE ÓRFÃ
Saudade de uma mãe orfã, não deveria chamar-se saudade.
Saudade é apenas saudade...
Saudade da mãe orfã é muito mais do que saudade...
Os homens que criaram as palavras , não geraram, acalentaram e entregaram um filho à Deus.
Não souberam encontrar uma palavra que descrevesse a saudade de uma mãe orfã.
Essa, não se chama saudade...eu sei!
Pois já senti outras saudades. Daquela saudade descrita no dicionário.
Não...não é igual. Sequer se assemelha...
Também não é um stress físico, porque nenhuma rede num bosque pode acalentá-la.
Nem mesmo um cruzeiro nas ilhas paradisíacas do mundo a fora...
Com certeza também não é um stress emocional, porque não é passageiro.
Trata-se de um stress crônico, e que se estenda até o reencontro.
Saudade de mãe órfã não se limita a ausência física.
Ainda que essa ausência machuque.
Ela vai mais longe. Muito mais...
Não bastaria o toque para supri-la .
Ela se estenderia ate que o toque fosse pleno e perpétuo.
Ainda que um só toque fosse motivo de êxtase.
Saudade de mãe orfã deveria ter nome de um transtorno emocional.
Um transtorno único, singular...
Um transtorno tratado dolorosamente pelo tempo, e só o tempo.
Por outro lado, o tempo trata, mas provoca sérios e irreversíveis efeitos colaterais.
Como todo remédio. O tempo abre cada vez mais a ferida.
A ferida da saudade, que se renova dia a dia...
E essa ferida nunca cicatriza...
E Inflama a cada Natal,
A cada aniversário,
A cada Dia das Mães

A cada evento seja ele grande ou pequeno, importante ou simples,
Em cada situação em todo e qualquer momento...

(autoria desconhecida)



2 comentários:

Casal Apaixonado disse...

Minha querida ..
Muitas saudades de visitar seu cantinho ..
O texto .. Lindo!
Estou por aqui orando por ti e por esta nova benção que está prestes a chegar ..
Um beijão

Meyre disse...

oiiii já faz tempão que venho aqui ler seu blog conhecer sua história, e hj estou te seguindo, parabéns pelos 8 meses de gravidinha, Deus abençoe vcs.... BJOOOOOO grande