Bem ti vi

Para você, Letícia, meu Bem-te-vi".
Viste, hoje, o passarinho na janela?
Tão frágil, tão pequeno, tão delicada fera.
Parece procurar-te, de primavera, em primavera. Até pousar cansado, noutra janela.
Ouviste-lhe, acaso, o canto de saudade? Também eu te procuro minha bela.
Encontro-te no meu peito, fiz-te um ninho, aconcheguei-te no meu altar.
É que aquele passarinho na janela lembrou-me o dia que há muito já perdi.
Bem me quiseste, e tanto bem te quis...
Quiseste mais, eu sei, compreendi. Tu frágil, doce, bela...
Lembro-me de ti. Esquecer-te, meu amor, seria como me esquecer de mim.
É que aquele último dia cerrou-te os olhos delicadamente, e entre beijos eu te vi partir...
Voaste!... Voaste firme e decididamente.
De volta para dentro de mim,
E eu... Fiquei aqui, a lembrar-te de ti, a sonhar contigo, esperando o dia em que poderei te ter aqui, em meus braços para abraçar-te, beijar-te, beijar-te, beijar-te..
Te espero até depois do fim.

Amigos

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

E quanto tempo pode durar um luto???

Tudo no seu tempo... E quanto tempo pode durar um luto??? para quem nunca perdeu um filho é fácil calcular, as pessoas pensam que porque já se passaram 6 meses, 1 ano, 10 anos temos que seguir em frente sem olhar para trás, se elas soubessem a dor que existe por de trás de casa sorriso nosso, nunca nos julgaria... Feliz e muito emocionada ao ver minha amiga querida Sheila Schumanski doar as roupinhas de sua eterna Princesa bailarina... Mas não se engane, Sheilinha não deixou de sofrer a ausência de sua filha amada, tão pouco de chorar de saudades, ela só fez isso porque constatou que no céu nossa princesa não precisa de suas roupas, ganhou tudo novinho quando anjo se tornou... Muito orgulhosa de você amiga, vc deu um grande passo, a partir de hoje nossa estrelinha Deomara passa a brilhar com mais intensidade por você e para você... Abraço apertado  Lembrei um "amiga" que estava gravida quando a Letícia foi para o céu, alguns dias após ela me ligou pedindo as fraldas...rsrs, assim mesmo, na cara de pau, sem nenhuma cerimonia ao me ver minguar de dor... Conclusão... Não dei!!! não foi por maldade, tão pouco egoismo, haviam outros bebes até mesmo na família que usaria aquelas fraldas, não só as fraldas como tudo o que era da Letícia, no em tando um bloqueio não permitiu que eu as desse... Bem, as fraldas ficaram guardadas em casa pelo período de aproximadamente 1 ano, no momento certo meu coração permitiu que eu doasse ao Breninho seu amiguinho de UTI no Incor que alguns meses após também tornou-se Anjo, imagino a carinha sapeca da Letícia no céu ao ver Breninho usando-as com tanto carinho... As demais coisinhas (roupinhas) aos poucos fui me desapegando, uma ou outra consigo usar na Mariana, a maioria não consigo, algumas passo a quem precisa, outras continuam guardadas... 
Por quanto tempo??? 
ATÉ MEU CORAÇÃO DECIDIR!!!

3 comentários:

Geandra Ataide disse...

Olá... Por acaso achei aqui seu blog... E como vc e muitas outras mamães de anjos sei exatamente o que é essa dor... no dia 17 de dezembro de 2013 meu anjinho partiu, Minha Cecília, minha vida...
E cada dia que passa essa saudade aumenta, sinto que essa dor não vai passar nunca... É um vazio e uma solidão que nada preenche... é sorrir, sem real vontade é viver por viver... ter que viver uma mentira, pois tudo que eu mais queria era me isolar e chorar essa dor até desidratar...
E vendo esse tópico me lembrei do dia seguinte ao da partida da Cecília, eu doei tudo dela, dos móveis as roupas, tudo tudo... Só guardei comigo a bonequinha que ela gostava, o macacão que ela saiu do hospital, um body que comprei num evento de lembrança para ela e a plaquinha da porta pois tinha o nome dela... Tomei essa decisão no momento do sepultamento, como era dezembro, próximo ao Natal, pensei: Meu Deus! Que pelo menos sirva para ajudar alguém... Fui ao grupo espírita que costumo frequentar,eles fazem trabalhos com gestantes carentes, no outro dia mesmo e deixei tudo lá...Isso me deu um pouco de paz...

Geandra Ataide disse...

Olá...
Tenho caminhado, lido e relido alguns blogs, dentre estes o seu...
Finalidade: acalmar meu coração de mãe que sofre a perda da minha joia que hoje não está nos braços de Deus... Minha princesa Cecília faleceu em dezembro de 2013, e como deve saber de cor como é cada estágio dessa dor, eu ainda estou na fase mais aguda dela...
E lendo essa postagem me lembrei do que pensei no mesmo dia do seu falecimento em relação a seus pertences... Eu doei tudo, no outro dia, tudo mesmo dos móveis as fraldas estocadas... só guardei comigo o macacão que ela saiu do hospital, o quadrinho da porta que tem o nome dela e uma bonequinha que ela gostava muito... Ao meu ver ia me machucar ainda mais ficar com tudo aquilo guardado aqui... eu frequento um grupo espírita que faz trabalho com gestantes carentes, daí como eram dias próximos ao Natal, pensei que pelo menos toda essa tragédia poderia servir para ajudar alguém, alegrar alguma criança com os brinquedinhos que a minha Cecília não chegou nem a brincar, muitos ainda estavam na embalagem... Minha pequena só tinha 4 meses...
E é isso, mas sei que cada um tem o seu tempo nessas coisas...

Fabiana Gomes disse...

Oi Geandra, sinto muito por sua estrelinha ter ido brilhar no céu, sei como dói e como é difícil entender, mas assim como a Letícia Cecília é uma estrela e como todas estrelas precisam brilhar elas brilham, voaram alto e brilham por nós, grande beijo, se puder me add. no face, quero muito ser sua amiga de estrada, de caminhada, pois sei o quanto essa caminhada é difícil, me add. la, juntas somos mais fortes. Um beijo