Bem ti vi

Para você, Letícia, meu Bem-te-vi".
Viste, hoje, o passarinho na janela?
Tão frágil, tão pequeno, tão delicada fera.
Parece procurar-te, de primavera, em primavera. Até pousar cansado, noutra janela.
Ouviste-lhe, acaso, o canto de saudade? Também eu te procuro minha bela.
Encontro-te no meu peito, fiz-te um ninho, aconcheguei-te no meu altar.
É que aquele passarinho na janela lembrou-me o dia que há muito já perdi.
Bem me quiseste, e tanto bem te quis...
Quiseste mais, eu sei, compreendi. Tu frágil, doce, bela...
Lembro-me de ti. Esquecer-te, meu amor, seria como me esquecer de mim.
É que aquele último dia cerrou-te os olhos delicadamente, e entre beijos eu te vi partir...
Voaste!... Voaste firme e decididamente.
De volta para dentro de mim,
E eu... Fiquei aqui, a lembrar-te de ti, a sonhar contigo, esperando o dia em que poderei te ter aqui, em meus braços para abraçar-te, beijar-te, beijar-te, beijar-te..
Te espero até depois do fim.

Amigos

sexta-feira, 14 de março de 2014

Mãe da Potinho de Ouro é também um grande Pote de vidro.

Assim minha alma é, um pote gigante de vidro...tudo nela já coube...tudo nela já foi preenchido...pequenas lacunas restaram e estas achei que demorariam a vida para serem preenchidas...eu estava errada...muito errada...não entendia nada da vida...como hoje entendo pouco...achei que já tinha sofrido...que já tinha doido...ah como eu não sabia de nada...fácil é pensar que sabemos...fácil é analisar, julgar ...mas viver...viver é infinitamente mais difícil...hoje sei o que é verdadeiramente a dor do vazio...do jamais...do impossível...Minha alma, meu pote de vidro, sentiu-se estilhaçado com a martelada da morte...nem sei onde meu cacos foram parar...tudo o que existia nele, convicções, fé, amores, amizades...tudinho...senti espalharem-se por todo canto e ao mesmo tempo em lugar algum...jamais consegui os achar de volta...meu vidro foi quebrado...brutalmente quebrado...não voltará ser inteiro como não conseguimos colar um vidro esmigalhado...sei que dia a dia, pedaço por pedaço estou me refazendo...devagar...com uma ajuda muito especial...a ajuda de um serzinho que vive no céu...Minha Joia Letícia, 2 Princesas que são minha ancora e um presentinho enviada do céu Minha doce Mariana ...escolhida por ela. Mas como um papel que é amassado, um vidro estilhaçado jamais volta a ser como no início, assim sou eu...não por não querer...não por não sentir saudade de ser intacto...mas não haver como...não haver remédio...não haver uma “cola” que nos faça ser como uma dia já fomos...inteiros.
Sentirei saudades deste tempo para sempre...o tempo que eu não sabia o que era sobreviver sem um pedaço do corpo...da vida...da alma...meu pedacinho ✰ LETÍCIA ✰ 
Escrito por Tatiana Maffin.
E muitos vão olhar e vão dizer, poxa como ela conseguiu? Outros vão nem olhar, outros vão olhar e vão sentir pena... Outros vão olhar e vai achar... se ela conseguiu , eu também consigo! Outros nem entendem as mensagens de saudades ... outros encorajem... ajudam a caminhar... confortam ... Mas poucos vão entender a dor ... por que só sabe quem passa !
Escrito por Cris Nascimento.

Nenhum comentário: