Bem ti vi

Para você, Letícia, meu Bem-te-vi".
Viste, hoje, o passarinho na janela?
Tão frágil, tão pequeno, tão delicada fera.
Parece procurar-te, de primavera, em primavera. Até pousar cansado, noutra janela.
Ouviste-lhe, acaso, o canto de saudade? Também eu te procuro minha bela.
Encontro-te no meu peito, fiz-te um ninho, aconcheguei-te no meu altar.
É que aquele passarinho na janela lembrou-me o dia que há muito já perdi.
Bem me quiseste, e tanto bem te quis...
Quiseste mais, eu sei, compreendi. Tu frágil, doce, bela...
Lembro-me de ti. Esquecer-te, meu amor, seria como me esquecer de mim.
É que aquele último dia cerrou-te os olhos delicadamente, e entre beijos eu te vi partir...
Voaste!... Voaste firme e decididamente.
De volta para dentro de mim,
E eu... Fiquei aqui, a lembrar-te de ti, a sonhar contigo, esperando o dia em que poderei te ter aqui, em meus braços para abraçar-te, beijar-te, beijar-te, beijar-te..
Te espero até depois do fim.

Amigos

quarta-feira, 5 de março de 2014

Devaneios na madrugada

Eu queria ter sentido a tua dor... A dor que tu sentiu quando tua alma separou do teu corpo... Eu queria está dentro de você naquele exato momento... Sentir teu coração, teus pensamentos, teus medos... Segurar na mão da tua alma... Ver através dos teus olhos, Deus. Saber como foi esse encontro... Saber se tu ainda si lembra de mim ou se os encantos do céu apagaram minhas memórias em ti... Ah eu queria ter vivido a tua morte dentro de ti, da mesma forma que tu iniciou a vida dentro de mim.

(Cassia Cohen)

Nenhum comentário: