Bem ti vi

Para você, Letícia, meu Bem-te-vi".
Viste, hoje, o passarinho na janela?
Tão frágil, tão pequeno, tão delicada fera.
Parece procurar-te, de primavera, em primavera. Até pousar cansado, noutra janela.
Ouviste-lhe, acaso, o canto de saudade? Também eu te procuro minha bela.
Encontro-te no meu peito, fiz-te um ninho, aconcheguei-te no meu altar.
É que aquele passarinho na janela lembrou-me o dia que há muito já perdi.
Bem me quiseste, e tanto bem te quis...
Quiseste mais, eu sei, compreendi. Tu frágil, doce, bela...
Lembro-me de ti. Esquecer-te, meu amor, seria como me esquecer de mim.
É que aquele último dia cerrou-te os olhos delicadamente, e entre beijos eu te vi partir...
Voaste!... Voaste firme e decididamente.
De volta para dentro de mim,
E eu... Fiquei aqui, a lembrar-te de ti, a sonhar contigo, esperando o dia em que poderei te ter aqui, em meus braços para abraçar-te, beijar-te, beijar-te, beijar-te..
Te espero até depois do fim.

Amigos

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Porque eu te amo

E porque tenho essa mania de te buscar, reviro gavetas e vasculho armários da memória, retiro a poeira do relógio, zombo das horas, espalho seu cheiro no meu coração, pulverizo seu rosto nos jardins da minha vida, componho canções internas em que ouço você, seus passos, sua voz, sua risada... E, porque tenho essa mania de amar, faço pouco caso da ausência e encho os meus dias de você, te imagino ao lado das estrelas, desenho raios de Sol em suas mãos, iluminando minha dor e minha saudade. E, porque te amo, reinvento.

(Teresa Gouvea)

Nenhum comentário: